FII: IFIX avança 0,12%; índice é puxado por BCRI11 e BPFF11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pixabay

Na sessão da quarta-feira, 16, o IFIX seguiu em viés de alta e fechou o dia no positivo em 0,12%, aos 2.770,64 pontos.

Na mínima do dia, o índice de FIIs marcou 2.767,49 pontos, enquanto a máxima foi de 2.773,95 pontos.

No acumulado de dezembro o IFIX recua 1,35%. No ano a queda é de 13,28%. A movimentação financeira para a quarta-feira foi de R$ 211,6 milhões.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Destaques do dia

As maiores altas da carteira foram em: Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11), Brasil Plural Absoluto Fundo de Fundos (BPFF11), Hectare CE (HCTR11), CSHG Prime Offices (HGPO11), Kinea Índices de Preços (KNIP11).

Por outro lado, as maiores quedas foram em: BB Progressivo (BBFI11B), Via Parque Shopping (FVPQ11), Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), Ourinvest Logística (OULG11), Bresco Logística (BRCO11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
BCRI11R$ 108,391,34%
BPFF11R$ 79,171,29%
HCTR11R$ 137,601,18%
HGPO11R$ 223,001,07%
KNIP11R$ 113,981,04%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
BBFI11BR$ 1.960,00-4,39%
FVPQ11R$ 140,25-2,26%
RBVA11R$ 111,75-1,54%
OULG11R$ 78,50-1,26%
BRCO11R$ 114,45-1,25%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta terça o conjunto de FIIs registrou valorização, em linha com o principal índice da bolsa, que fechou o dia em alta de 1,47%.

Veja a movimentação de FII

A Rio Bravo, administradora do FII Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), informou que o Banco Santander (locatário) promoveu nova ação judicial para requerer a declaração da vigência da cláusula 4.3 dos contratos de locação celebrados com o banco, sob pena de multa cominatória.

De acordo com o Santander, tal cláusula impede expressamente que o Fundo alugue os imóveis locados ao banco a quaisquer terceiros, mesmo após o término da vigência dos contratos de locação atípico, ainda que o Banco Santander não opte pela renovação.

A Rio Bravo informou que até o presente momento, o RBVA11 e a administradora não foram citados para oferecer defesa.

Ainda de acordo com a administradora, o Poder Judiciário constatou que, neste momento, não se encontram presentes os requisitos legais para a concessão da liminar solicitada pelo Santander.

Sendo assim, não há qualquer alteração nos processos judiciais em face do Fundo e no cumprimento dos contratos de locação.

Em fato relevante divulgado em 10 de agosto, a Rio Bravo informou que o banco optou, de forma antecipada e definitiva, pela “não renovação dos 26 contratos de locação firmados com o Fundo”.

“Nesse contexto, ao término da vigência dos Contratos de Locação Atípico, caberá ao Banco Santander apenas optar pelo exercício, ou não, da opção de compra dos Imóveis que lhes confere a cláusula 4.3 dos Contratos de Locação Atípico”, explicou a administradora.

O Banco Santander terá ainda o direito de preferência em eventual venda dos imóveis pelo RBVA11 até o término da vigência de referidos contratos.

Caso o Santander opte pelo não exercício da opção de compra, a Rio Bravo informou que o banco não poderá, com fundamento na cláusula 4.3, impedir o Fundo de conferir aos imóveis sua função social e a destinação que melhor lhe convier, sob pena de incorrer em manifesto abuso de direito.

BREV11 adquire ativos do FII RCRB11

O FII Brazil Real Estate Victory Fund I (BREV11) comunicou a aquisição dos conjuntos 101 e 102 do Edifício Parque Paulista, localizado em São Paulo (SP).

O Conjunto, que pertencia anteriormente ao FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), foi negociado por R$ 10,55 milhões, adquirido por meio de integralização de cotas.

RZTR11 comunica aquisição no valor de R$ 457,623 milhões

O FII Riza Terrax (RZTR11) comunicou que finalizou a aquisição de 8 propriedades compostas por 24 matrículas.

A transação foi realizada pelo montante total de R$ 457,623 milhões que, em conjunto, representam, aproximadamente, 97% do total do patrimônio líquido do RZTR11.

FII: Confira os rendimentos divulgados

BVAR11: R$ 31,86 por cota em 23/12

RCRB11: R$ 0,85 por cota em 21/12

Leia mais:

Aluguel de FIIs: saiba como vai funcionar o empréstimo de cotas

FIIs: por que o IFIX está atrás do Ibovespa? Entenda