FII: IFIX fecha em alta de 0,03%, puxado por ABCP11 e HGPO11

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Em um dia de poucas oscilações no IFIX, a sessão desta segunda-feira (14) registrou leve alta de 0,03%, aos 2.792,76 pontos.

Neste cenário, a mínima do dia foi de 2.790,5 pontos enquanto a máxima bateu em 2.798,18 pontos.

Para setembro, o índice de FIIs registra alta de 0,38%. No ano a queda é de 11,8%.

EmpreendedorismoTécnicas para Renda Fixa. Tendências. Privatizações. Estratégias para proteção de investimentos.

Tudo isso hoje na MoneyWeek

A movimentação financeira para esta segunda foi de R$ 190,17 milhões.

Maiores altas

Entre os Fundos Imobiliários que puxaram a alta estavam: Grand Plaza Shopping (ABCP11), CSHG Prime Offices (HGPO11), Green Towers (GTWR11), Industrial do Brasil (FIIB11), Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11).

Em sentido contrário, as maiores quedas da carteira puderam ser vistas nos fundos: Habitat II (HABT11), XP Selection (XPSF11), Maxi Renda (MXRF11), Santander Papéis Imobiliários (SADI11), REC Renda imobiliária (RECT11).

Veja o gráfico do dia

Fonte:B3

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
ABCP11R$ 78,001,83%
HGPO11R$ 224,001,56%
GTWR11R$ 113,491,33%
FIIB11R$ 491,981,21%
RBVA11R$ 119,101,03%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
HABT11R$ 110,10-2,05%
XPSF11R$ 95,50-1,54%
MXRF11R$ 10,37-1,33%
SADI11R$ 88,27-1,26%
RECT11R$ 95,21-1,25%

IFIX versus ações

Criado pela Bolsa brasileira, o IFIX tem por objetivo medir a performance de uma carteira.

Trata-se de uma composição de cotas de Fundos Imobiliários que são listados para negociação nos ambientes administrados pela bolsa. Entretanto, esse indicador costuma variar bem menos que o próprio Ibovespa.

Em comparação à bolsa, nesta segunda-feira, o conjunto de fundos de investimentos imobiliários registrou valorização, em linha com o principal índice da bolsa, que disparou 1,94%.

Veja a movimentação de FII

HCTR11

A Vórtx, na qualidade de administradora do fundo de investimento imobiliário (FII) Hectare Ceo (HCTR11), informou sobre a 6ª emissão de cotas do Fundo.

Desse modo, com a nova emissão serão lançadas até 1.071.215l cotas, podendo tal montante ser reduzido em razão da distribuição parcial ou aumentado em razão da distribuição das cotas adicionais.

O preço de aquisição por cota da 6ª emissão foi definido em R$ 116,69, assim sendo, o FII pretende levantar o montante mínimo de R$ 25 milhões.

Segundo o comunicado, os recursos líquidos captados serão destinados à aquisição de imóveis selecionados pela gestora.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre os dias 18 de setembro de 2020 a 30 de setembro de 2020, inclusive, na B3.

A Vórtx informou ainda que a oferta restrita é destinada exclusivamente a investidores profissionais.

O HCTR11 é um fundo imobiliário do segmento papel. Assim sendo, o Fundo tem como objetivo investir em ativos imobiliários, preponderantemente em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

URPR11

A Vórtx, administradora do FII Urca Prime Renda (URPR11), informou a abertura de nova emissão de cotas.

Desse modo, a 2ª emissão será de, no mínimo, 150 mil cotas e, no máximo, 450 mil cotas. O FII pretende levantar o montante de até R$ 45 milhões.

O preço de aquisição por cota da 2ª emissão foi definido em R$ 100 cada. A administradora informou que não haverá cobrança de taxa de ingresso.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre 18 de setembro de 2020 a 30 de setembro de 2020, inclusive, na B3.

De acordo com a administradora, os recursos provenientes da captação serão destinados à aquisição de ativos imobiliários e outros ativos, ao pagamento dos custos e despesas da oferta e ao pagamento dos encargos do Fundo previstos no Regulamento.

O URPR11 é um fundo imobiliário do tipo tijolo/desenvolvimento, desse modo, tem como objetivo aplicação em empreendimentos imobiliários.

RBVA11

A Rio Bravo, administradora do Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), informou que o Fundo recebeu, em 11 de setembro de 2020, uma proposta de aquisição de 77 cotas do imóvel no Shopping Center Iguatemi, São Paulo, SP, no qual o Fundo já possui pequena participação de 75 das 60 mil cotas do empreendimento.

O valor aproximado da operação, já inclusos os custos, é de R$ 4,5 milhões.

A conclusão da aquisição dependerá do resultado satisfatório da Due Diligence a ser realizada bem como da superação das condições precedentes previstas na proposta.

“A ampliação da participação do Fundo no Ativo, além de aproveitar uma oportunidade de mercado para aumentar a exposição a um empreendimento consolidado e um dos principais centros comerciais do país, está totalmente alinhada com a estratégia de investimentos do Fundo voltada para a diversificação”, informou a administradora.

Além da participação direta no ativo, o Fundo também possui participação indireta em Fundos Imobiliários de Shopping Centers via cotas de FIIs.

No encerramento de julho de 2020, o RBVA11 possuía cerca de R$ 19,5 milhões alocados em Shopping Centers, considerando a participação direta no Shopping Iguatemi São Paulo e participação nos seguintes FIIs: Legatus Shopping, Shopping Pátio Higienópolis e Parque Dom Pedro.

BLCP11

O BTG Pactual, administrador do FII Bluecap Renda Logística (BLCP11), informou que efetuou o pagamento de 18,5 milhões referentes à aquisição do imóvel localizado no município de Cabreúva, SP.

Desta forma, o Fundo dará início ao recebimento dos aluguéis da Siemens Infraestrutura e Indústria, no valor de R$ 442,6 mil por mês.

O administrador informou que não haverá impacto na distribuição de dividendos até setembro de 2021.

SDIL11

A Rio Bravo, administradora do FII SDI Rio Bravo Renda Logística (SDIL11), informou que celebrou, em 9 de setembro de 2020, a escritura definitiva de compra e venda mediante o pagamento da parcela remanescente de R$ 15,4 milhões referente à conclusão da aquisição do empreendimento localizado em Guarulhos, SP.

A aquisição tem valor total de R$ 36,3 milhões, sendo que toda a receita de locação do empreendimento é recebida pelo Fundo desde 05 de junho de 2020.

O ativo possuirá ABL de 18.593 m² após todas as reformas previstas. O investimento estimado para o projeto é de até R$ 14 milhões.

Atualmente, o imóvel está totalmente locado para duas empresas: Laboratórios Stiefel, com contrato de locação atípico na modalidade Sale-Lease-Back  e AlmaViva, com contrato de locação na modalidade típica com vencimento em junho de 2023.

CXTL11

A Caixa Econômica Federal, na qualidade de administradora do FII Caixa TRX Logística Renda (CXTL11), comunicou que, além da proposta recebida no dia 24/08/2020, conforme Fato Relevante, o Fundo recebeu nova proposta para venda do imóvel situado na Rodovia do Café, Campo Largo, PR.

Desse modo, a nova proposta de aquisição foi realizada pelo valor de R$ 5 milhões.

Além do imóvel de Campo Largo, o Fundo é proprietário de outros três imóveis localizados em Duque de Caxias, RJ, Itapevi,SP e Macaé,RJ.

A administradora informou que está avaliando os demais aspectos da proposta recebida para, se for o caso, realizar a convocação da assembleia geral de cotistas do Fundo.