FII: IFIX avança 0,08% puxado por VILG11 e HGPO11

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Pixabay

Nesta terça-feira (11), o IFIX encerrou a sessão em leve alta de 0,08%, aos 2754 pontos.

A mínima para o dia foi de 2751 pontos enquanto a máxima bateu em 2760 pontos. No acumulado de janeiro o índice de FIIs registra queda de 1,80%.

A movimentação financeira para esta segunda foi de R$ 195,22 milhões.

Confira o desempenho do dia para o IFIX

Destaques do dia

As maiores altas do IFIX foram em: Vinci Logística (VILG11), CSHG Prime Offices (HGPO11), TG Ativo Real (TGAR11), Vectis Juros Real (VCJR11), RBR Alpha Multiestratégia Real Estate (RBRF11).

As maiores quedas foram em: VBI Logístico (LVBI11), Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), Vinci Shopping Centers (VISC11), Green Towers (GTWR11), Vinci Offices (VINO11).

FII: Maiores Altas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
VILG11R$ 101,182,75%
HGPO11R$ 234,952,55%
TGAR11R$ 120,201,94%
VCJR11R$ 99,641,62%
RBRF11R$ 74,581,47%

FII: Maiores Baixas

Empresa (ticker)PreçoOscilação
LVBI11R$ 101,02-2,68%
RCRB11R$ 122,36-1,93%
VISC11R$ 100,11-1,66%
GTWR11R$ 81,60-1,60%
VINO11R$ 53,73-1,54%

Mercado imobiliário em 2022: confira as perspectivas para o ano

De acordo com uma pesquisa do Instituto Offerwise, em parceria com a startup Quinto Andar, os clientes do mercado imobiliário alteraram as suas preferências em relação aos imóveis alugados e/ou comprados.

Com o avanço da pandemia, as pessoas sentiram a necessidade de melhorar as suas residências, seja por necessidade de trabalho ou pela busca de um imóvel maior. Cerca de 31% dos entrevistados relataram que precisam adaptar um escritório em sua casa para trabalhar, enquanto 19% delas destacaram que precisam de um imóvel maior.

Com isso, as incorporadoras estão investindo em empreendimentos com coworking e varandas multifuncionais para as pessoas trabalharem no home office.

Deste modo, a tendência do mercado imobiliário é disponibilizar residências com o maior número de quartos. Conforme aponta o estudo da Offerwise, houve um aumento de 58% para apartamentos com três dormitórios a partir de 49 m² e um crescimento mais baixo de 9% para apartamentos com dois dormitórios de até 39 m². Antes tendência no mercado, a venda de apartamentos estúdios, aqueles formados por apenas um quarto, recuou no final de 2021.

Tecnologia pode impulsionar mercado imobiliário

Outro fator que pode impulsionar o mercado imobiliário é o avanço do uso de tecnologia, como a assinatura digital, que facilita o fechamento de contratos de imóveis de forma totalmente remota. Além disso, também a possibilidade de mostrar os empreendimentos de forma digital, como gravação de vídeos em 360º para apresentar os imóveis sem a necessidade de deslocamentos.

As corretoras estão intensificando o uso de software de CRM (Customer Relationship Manager) com o objetivo de melhorar a gestão das imobiliárias com os seus clientes. Um dos CRMs mais completos do setor imobiliário é o da Vista Software, que ainda possibilita a integração com portais imobiliários, chat, WhatsApp e Facebook.