CNI: ICEI sobe 4,6% em setembro e engata 5º mês seguido em alta

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Divulgação

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu 4,6% em setembro ante agosto e engatou o 5º mês consecutivo em alta, segundo a CNI.

A Confederação Nacional da Indústria divulgou nesta segunda-feira (14) os números mais recentes do setor e ressaltou que, após chegar ao pior patamar da série histórica em abril, o otimismo parece ter voltado para ficar.

De acordo com o relatório, o ICEI de setembro atingiu 61,6 pontos percentuais. O número é maior também do que o registrado no mesmo mês do ano passado, que foi de 59,5 pontos.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Apesar da alta e da sequência de meses em recuperação, o indicador permanece abaixo dos níveis pré-pandemia – registrou 64,7 pontos em fevereiro.

“O clima de otimismo está mais elevado e disseminado entre os empresários da indústria brasileira. Com o aumento da confiança, a indústria deve voltar a contratar trabalhadores e a investir, estimulando o processo de retomada da economia”, apontou o relatório publicado no site da CNI.

CNI

ICEI apresenta alta nos dois componentes em setembro

Os dois indicadores que compõem o índice apresentaram alta no mês de setembro, de acordo com os dados divulgados pela CNI.

O Índice de Condições Atuais subiu 7,8 pontos em relação a agosto e ultrapassou a linha que divide o cenário pessimista do otimista, chegando aos 54,7 pontos.

Nos cinco meses anteriores, o indicador, que reflete a percepção sobre a situação econômica de seu próprio negócio, tinha aparecido com avaliação negativa.

O Índice de Expectativas também subiu em relação a agosto, mas um pouco menos – apenas 3 pontos percentuais.

A alta, no entanto, levou o indicador para 65,1 pontos, e manteve o otimismo no que tange o pensamento dos empresários do setor industrial para os próximos seis meses.

Leia tambémIpea: ajuste fiscal pode gerar economia de R$ 816 bilhões em 10 anos