Ibre compara coronavírus à Segunda Guerra e crava PIB 0,9% menor este ano

Osni Alves
Jornalista
1

Crédito: ibre compara efeitos do coronavírus à guerra e crava pib em menos 0,9% este ano

O Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) comparou os efeitos do coronavírus na economia à Segunda Guerra Mundial – no que tange às incertezas – e cravou crescimento do PIB este ano em menos 0,9%.

As informações constam do Boletim Macro, divulgado nesta quarta-feira (25). O Ibre faz parte da Fundação Getúlio Vargas.

A análise levanta três cenários possíveis: otimista, base e pessimista. O primeiro fecha o ano em 0,1%, o segundo em menos 0,9%, e o terceiro, o panorama pessimista, em menos 2,0%.

Para o primeiro trimestre de 2020, o crescimento do PIB está em 1,7%. Analisando somente o cenário “bom”, considerado mediano, o PIB fecha o segundo trimestre em menos 2,3%, e o terceiro trimestre em menos 3,7%.

Estes indicadores dizem respeito ao comparativo anual. Ou seja, cada trimestre de 2020 frente igual período do ano anterior.

“Vale ressaltar o alto grau de incerteza inerente a qualquer projeção feita neste momento. Os desdobramentos desse tipo de evento são totalmente imprevisíveis, sem precedentes na história capazes de servir como exemplo para balizar nossas estimativas”, informa o boletim.

E acrescenta: “Nosso cenário base pressupõe que a atividade econômica começará a se recuperar a partir do terceiro trimestre, mas em ritmo bastante gradual. Deste modo, a retomada em “U” é o cenário que consideramos mais provável.”

ibre-pib-1

Inflação

Segundo o Monitor da Inflação da FGV IBRE, o IPCA-15 de março ficará próximo de zero, com variação de 0,03%. Se confirmada, a taxa apresentará forte recuo quando comparada à de fevereiro, que foi de 0,22%.

Diferentemente do mês passado, quando o IPCA-15 e o IPCA registraram taxas de inflação muito parecidas, o índice de março pode surpreender a partir da segunda quinzena deste mês.

Com o aumento do número de infectados pelo coronavírus, a população está permanecendo em casa, o que provoca aumento da procura por gêneros alimentícios.

É natural que o confinamento das famílias as obrigue a fazer todas as suas refeições em casa, aumentando a necessidade de comprar alimentos.

Além disso, a incerteza sobre a propagação do vírus e a extensão da permanência em quarentena podem contribuir para o aumento da estocagem de alimentos.

O aumento da demanda por comida, portanto, tem contribuído para o avanço dos preços. A partir do início da segunda quinzena de março, os preços da alimentação em domicílio estão avançando mais rapidamente.

No início de março, segundo o Monitor da Inflação, a variação média de alimentação no domicílio era de 0,02%. Já no dia 18/03, a taxa saltou para 0,81%.

Entre os itens que mais contribuíram para essa aceleração estão os mais básicos: cereais, carne bovina, aves, panificados e leite.

As carnes mostram maior ritmo de aceleração. Com o aumento da procura e com os estoques sendo repostos mais lentamente – devido às restrições de movimentação –, a tendência é que a lista de alimentos em alta cresça nos próximos dias.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

ibre-pib-2ibre-macro-3

Panorama internacional

De acordo com o Ibre, os bancos centrais e demais autoridades dificilmente evitarão recessões severas.

Isso porque o ambiente macroeconômico predominante na época em que surge um choque de oferta é de grande relevância em qualquer discussão sobre seu impacto final. Isto equivale a dizer que nem todos os fenômenos desse tipo produzem os mesmos resultados.

“O choque do petróleo da década de 1970, por exemplo, tem sido frequentemente lembrado desde a eclosão da crise atual. Note-se que, naquela época, a economia mundial estava aquecida e as expectativas de inflação eram elevadas”, informam.

E continua: “a oferta monetária mundial crescia. Os EUA eram “exportadores” de inflação desde o final dos anos 1960. Ambiente típico de excesso de demanda. Resultado: contração da atividade econômica e inflação mais alta.”

ibre-macro-2

Política fiscal

Para o Ibre, é inegável que o orçamento público brasileiro possui alto grau de rigidez orçamentária. E continuam sendo editadas legislações que ampliam ainda mais a rigidez. As normas relacionadas ao orçamento impositivo das emendas parlamentares é uma delas.

Embora todos os esforços estejam centrados no controle da pandemia do coronavírus, o assunto das emendas deverá voltar ao radar posteriormente.

As emendas parlamentares são alterações que deputados e senadores fazem ao orçamento em função de compromissos assumidos junto a entes subnacionais ou a instituições.

“Importante destacar que “tais emendas podem acrescentar, suprimir ou modificar determinados itens.”

ibre-macro-1

Mercado de trabalho

De acordo com o Ibre, o início do ano começa acelerado no mercado de trabalho, mas o impacto será profundo nos próximos meses.

Isso porque a taxa de desemprego da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do trimestre terminado em janeiro de 2020 registrou o nível de 11,2%, uma queda de 0,8 ponto percentual (p.p.) em relação a igual período do ano anterior.

O indicador veio abaixo do projetado pelo Ibre/FGV, e também abaixo do esperado pela mediana dos analistas.

Esse resultado, no entanto, ocorreu simultaneamente a uma nova interrupção da queda do número de desalentados, tendo este aumentado em 0,5%. Com o crescimento da população ocupada mantido em 2% ao ano, foi a redução da oferta de trabalhadores a principal determinante para a queda maior da taxa de desocupação.

Desemprego

Para fevereiro de 2020, é projetado um aumento da Taxa de Desocupação para o nível de 11,9%. Tal elevação se deve em parte ao efeito sazonal dos primeiros meses do ano. No entanto, na série ajustada sazonalmente, também se projeta um pequeno aumento, de 11,5% para 11,7%.

O Caged, por sua vez, não tinha divulgado seu resultado para janeiro até a publicação desta edição. A razão é uma mudança metodológica anunciada pelo Ministério da Economia, que levou ao atraso na divulgação do novo número.

Para janeiro, o Ibre projeta uma criação de 60 mil empregos na série sem ajuste sazonal, e 50,6 mil na série com ajuste. É importante ressaltar que a própria PNAD Contínua possivelmente interromperá sua série nos próximos meses devido ao surto de coronavírus.

Desaceleração

Ainda não se sabe a extensão do impacto no mercado de trabalho devido à desaceleração da economia. No entanto, tendo em vista as medidas de redução de circulação para o controle do contágio, projeta-se perda relevante dos rendimentos daqueles contratados sem carteira assinada e, principalmente, por conta própria.

Esses últimos, muitas vezes, têm remuneração diretamente proporcional ao faturamento ocorrido pelos seus serviços prestados, de modo que o impacto neste grupo será significativamente maior.

Trabalhadores informais correspondiam a 45,7% de todos os trabalhadores no ano de 2019. Sua renda média, de cerca de R$ 1.540 mensais, correspondeu a 66% da renda média de toda população ocupada.

Desse modo, em relação à massa de rendimentos do trabalho principal, os informais correspondem a 30% do total, quase um terço. Assim, é possível projetar três cenários de queda da renda desse grupo:

O primeiro, mais otimista, admite estabilidade do rendimento médio dos informais no primeiro trimestre, com os dois primeiros meses positivos compensando a queda de março, seguido de uma queda de 5% em relação ao igual período do ano anterior, com mais 2% de queda no trimestre seguinte e estabilidade no último.

Os dois últimos cenários projetam quedas mais significativas, além de um cenário de não estabilização da renda por todo ano.

ibre-emprego-1

Retração de até 4,4%

Levantamento da FGV (Fundação Getúlio Vargas) divulgado em 20 de março estima que a economia brasileira possa retrair até 4,4% em 2020 por conta dos impactos do coronavírus.

Para a instituição, “existe o risco de a atividade econômica ainda sentir efeitos negativos até 2023”, segundo o informe. Leia a matéria aqui,


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374