Bolsa retoma fôlego e sobe 6,7%; AZUL4, MRFG3 E MGLU3 puxam alta

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

O Ibovespa retomou o ímpeto de alta e operava perto das 13h45 em alta de 6,67%, aos 77.423 pontos. Pela manhã, logo na abertura dos negócios, chegou a subir 15%, no dia seguinte ao pior dia em 20 anos para os mercados mundiais, como consequência da pandemia de coronavírus.

No final da manhã o índice caiu mas voltou a subir após a confirmação de que o exame do presidente Jair Bolsonaro para o Covid-19 deu negativo.

Na bolsa brasileira, as ações que mais subiam às 13h35 eram: Azul: +16,45%; Marfrig: +14,17%; Magazile Luiza: +14,12%; BTG Pactual: +13,92%; e Braskem: +12,73%

Já as maiores baixas eram: Yduqs: −4,73; Qualicorp: −0,86%; Suzano: −1,95%; e CVC: -0,95%.

Dólar e petróleo

O dólar por seu lado recuperou o fôlego e voltou a subir, mas ainda não no mesmo patamar de ontem. Às 12h30 estava em R$ 4,770, queda de 0,66%.

Já o petróleo voltou a cair, depois de registrar alta de até 5% no começo do dia. O barril tipo brent para maio tinha queda de 0,45% perto das 13h, cotado a US$ 33,07, enquanto o WTI para abril recuava 0,83, a US$ 31,24.

Pela manhã, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo deve anunciar diversas medidas nas próximas 48 horas para o combate ao coronavírus e não descarta fazer novas liberações do FGTS. O anúncio, sefundo ele, responde ao pedido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que pediu ação do governo. Guedes também pediu agilidade do Congresso.