Ibovespa opera em alta, acompanhando a recuperação de mercados internacionais

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação/B3

O Ibovespa opera em alta de 0,79%, aos 103.017 pontos, perto das 13h31, nesta segunda-feira (29).

O Ibovespa começa a semana com investidores tentando recuperar parte das fortes perdas de sexta-feira, após anúncio de um nova variante de coronavírus, identificada pela primeira vez no continente africano. Os mercados internacionais operam em alta, assim como as commodities. A ideia de que os ativos estão baratos chama alguns investidores para as compras até que esperem novas informações.

O que mexe no Ibovespa

O Boletim Focus trouxe nova projeção de alta para a inflação (a 34ª seguida) de 2021, agora em 10,15%. Para 2022, é de 5%. 

O PIB de 2021 também foi novamente revisto para baixo, pela sétima semana consecutiva: 4,78%. Para 2022, também queda: 0,58%. 

Ainda na manhã desta segunda-feira (29) foi divulgado o IGP-M, inflação do aluguel, que variou 0,02% em novembro, após alta de 0,64% no mês anterior. Com este resultado o índice acumula alta de 16,77% no ano e de 17,89% em 12 meses. A projeção era por 0,30%. A queda nos preços das commodities explica o recuo. 

A FGV divulgou a Confiança do Comércio, que caiu 6,2 pontos em novembro, chegando a 88. A Confiança de Serviços caiu 2,3 pontos

O Tesouro divulga esta tarde o superávit primário do Governo Central, que deve ser de R$ 26,150 bilhões em outubro. E o Congresso realiza sessão conjunta para discutir as emendas do relator ao orçamento de 2022. 

Na agenda da semana, destaque para a divulgação do PIB do terceiro trimestre e de dados de emprego, pelo Caged e a Pnad. 

Todos estes dados são acompanhados de perto pelo Comitê de Política Econômica (Copom), do Banco Central, que se reúne na próxima semana para definir para onde vai a Selic. As apostas predominantes, até aqui, é que ela chegue mesmo a 9,25%, como antecipou a última ata do Copom – com isso, vale lembrar, a renda fixa deve voltar ao radar do investidor. 

Exterior

O temor com a variante ômicron ainda persiste, mas em menor escala do que na sexta-feira (26), quando as bolsas despencaram. 

As notícias do final de semana trouxeram certa tranquilidade, com autoridades sanitárias afirmando que os sintomas até aqui identificados foram leves e a Moderna afirmando que pode ter uma vacina específica para a nova cepa já no começo do ano que vem. 

Em indicadores, o índice de confiança do consumidor da zona do euro caiu 6,8 pontos, mas em linha com o esperado.

Na sexta-feira (3) sai o payroll, folha de pagamentos oficial americana, dado relevante para a tomada de decisão do Fed quanto ao ritmo da retirada de estímulos. 

Ibovespa: ações

As ações da Usiminas (USIM5) lideram as altas no Ibovespa nesta segunda-feira (29). Por volta das 13h31, os papéis da empresa subiam 5,50%.

A alta da mineradora segue no embalo da elevação do preço do minério de ferro. O insumo registrou alta de 6,83% em Qingdao, na China, nesta segunda-feira. Com isso, o preço da tonelada é vendido a US$ 103,27.

Em seguida, surge Braskem (BRKM5) que cresce 5%.

O Meliuz (CASH3) é a terceira entre as maiores altas. Esta opera com variação positiva de 4,72%.

Logo após aparece Locaweb (LWSA3), que registra variação positiva de 4,44%.

Por fim, vem Banco Inter (BIDI11), que opera com elevação de 4,07%.

Dólar

O dólar tem alta de 0,26%, a R$ 5,6240, por volta das 13h25.

O dólar sobe com o mercado repercutindo notícia de que o governo não descarta a possibilidade de ter que lançar mão do Orçamento de Guerra mais uma vez para conseguir viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil. De acordo com informações obtidas pela Agência Reuters, essa alternativa seria “caótica” para as questões fiscais, e o governo tentará nesta semana atrair votos para a aprovação da PEC dos Precatórios.

*Com Agência Reuters e Agência Estado