Ibovespa opera em alta; NY sobe e fica perto da estabilidade

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação/Ibovespa

O Ibovespa opera em alta de 0,71%, aos 125.941 pontos, perto das 13h09, nesta sexta-feira (23).

O Ibovespa acelerou o ritmo da alta, focando na volta aos 126 mil pontos. Apesar da insegurança das bolsas de Nova York, a alta do preço do minério de ferro na China colaborou para as mineradoras brasileiras. Além disso, o ganho também é puxado por ações do setor de commodities e financeiro.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

O que mais mexe no Ibovespa

O Boletim Focus trouxe nesta segunda-feira (26) projeção de alta para todos os principais indicadores econômicos deste ano. 

Segundo a avaliação do mercado, a Selic deve chegar a 7% até dezembro, ante 6,75% da leitura anterior.

A inflação deve ir a 6,56%, ante 6,31% da semana passada.

O PIB chega a 5,29%, contra 5,27%. E o dólar vai de R$ 5,05 para R$ 5,09.

Para 2022, a novidade é a alta da inflação, de 3,75% para 3,80%.

Ainda em indicadores, o Índice de Confiança do Consumidor, medido pela FGV, subiu 1,3 pontos em julho, para 82,2 pontos, maior nível desde outubro de 2020 (82,4 pontos). É a quarta alta consecutiva. 

Já a terceira leitura de julho do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), também da FGV, subiu 0,90% e acumula alta de 8,73% nos últimos 12 meses. Na semana anterior, o resultado foi de 0,88%. Quatro das sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação. 

Ainda repercute a alta dos preços apontada na sexta-feira (23) pelo IPCA-15, considerado uma prévia da inflação oficial. Ele ficou em 0,72% em julho, quando o mercado projetava resultado inferior, de 0,64%. Por conta disso, aumentam as apostas de alta de 1 ponto porcentual na Selic na próxima decisão do Copom.

Em Brasília, destaque para a a minirreforma ministerial que acontece na semana, com a chegada de Ciro Nogueira à Casa Civil e a recriação do Ministério do Trabalho, que fica com Onyx Lorenzoni. O Congresso segue em recesso por mais esta semana.

Em balanços, tem divulgação dos resultados de EDP Brasil (ENBR3) e TIM (TIMS3).

  • Clique aqui para conferir a temporada de balanços da semana. 

Exterior

Hoje, o destaque fica por conta do balaço da Tesla. Apple, Alphabet e Microsoft divulgam seus resultados na terça-feira (27).

Na semana passada, Elon Musk deu a entender que a montadora passará a aceitar novamente bitcoin na compra de carros, o que deve mexer com a moeda digital.

Ainda na agenda, o principal assunto da semana é o início da reunião do Fomc na terça-feira (27), com decisão sobre política monetária na quarta (28). A expectativa dos investidores é que o comitê do Federal Reserve (Fed) mantenha o nível atual juros, mas indique início e método para o tapering (retirada de estímulos).

Na quinta (29) ocorrerá a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre dos EUA.

Da China vem a notícia de que o governo fará uma reforma na educação privada, proibindo as empresas de ter lucro. Como consequência, as bolsas de Hog Kong tiveram queda expressiva de mais de 4%.

Ibovespa: ações

As ações da Companhia Siderúrgica Nacional – CSN (CSNA3) são destaque na sessão. Por volta das 13h09, os papéis da companhia sobem 4,18%.

A Usiminas (USIM5) tem alta nos papéis da companhia e atinge 4,06%. A terceira ação mais vendida é da Embraer (EMBR3), cuja alta atinge 4,05%.

Em seguida, a JBS (JBSS3), cujos papéis têm valorização de 3,62%. Por fim, a IRB Brasil (IRBR3) sobe 3,29%.

Dólar

O dólar tem queda de 0,62%, a R$ 5,1683, por volta das 13h15.

A moeda iniciou a manhã em alta, alcançando R$ 5,20 com investidores se preparando para uma semana marcada pela decisão de política monetária nos Estados Unidos após o rali da cotação nas últimas sessões. No Brasil, os investidores observam a alta dos juros futuros, após aumento das projeções na pesquisa Focus para a inflação e a Selic no fim deste ano.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3