Ibovespa opera em alta e recupera os 104 mil pontos, acompanhando NY

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: bolsa-burak-k-pexels

O Ibovespa opera em alta de 1,36%, aos 104.439 pontos, perto das 13h11, nesta segunda-feira (22).

O Ibovespa pegou carona na aceleração de Nova York, ampliando a alta no início da tarde e reconquistando o nível dos 104 mil pontos. Em Nova York, a novidade neste início de dia fica por conta da indicação de Jerome Powell para novo mandato no comando do Federal Reserve, feita há pouco pelo presidente norte-americano, Joe Biden. No momento, a alta do Ibovespa é uma recuperação pontual, pois não é baseada em alteração do quadro de incertezas domésticas.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

O que mexe no Ibovespa

O Boletim Focus desta segunda-feira trouxe a 33ª projeção de alta para a inflação este ano: 10,12%. Para 2022, alta para 4,96%.

Em evento na semana passada, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, admitiu que as expectativas inflacionárias para o ano que vem já “estão saindo da meta”. 

O Focus também trouxe novas previsões de queda para o PIB de 2021 e 2022: 4,80% e 0,70%, respectivamente. 

Vale lembrar que, enquanto o mercado já vê o crescimento de 2022 bem abaixo de 1%, o governo segue apostando em alta de 2,10% para o PIB

Na semana, o IPCA-15, considerado uma prévia do PIB, é o destaque entre os indicadores. Mas Brasília segue no centro das atenções. Confira aqui a agenda completa de indicadores.

A votação da PEC dos Precatórios, que abriria brecha no orçamento de 2022 para o pagamento do Auxílio Brasil, será votada na quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. No entanto, o texto final ainda é uma incógnita. 

Exterior

A semana é curta para os mercados americanos, por conta do feriado de Ação de Graças na quinta (com bolsas fechadas) e a Black Friday na sexta (bolsas funcionando em horário reduzido). 

Ainda assim, uma série de indicadores relevantes será divulgada: Índice dos Gerentes de Compras, inflação medida pelo PCE, PIB e ata do Fomc.

Os investidores acompanham, de olho no ritmo do crescimento, na aceleração da inflação e no quanto ela impactará as decisões do Federal Reserve (Fed), banco central americano, no que diz respeito à aceleração do tapering (retirada de estímulos) e aumento de juros.  

O atual presidente do Federal Reserve (FED), Jerome Powell, foi indicado pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para um segundo mandato. Em paralelo, Lael Brainard foi indicada para o cargo de vice-presidente da autoridade monetária.

De acordo com matéria do CNBC, Biden justificou sua decisão de que o país precisa reconstruir sua economia após a pandemia da covid-19. Ele colocou sua confiança no trabalho de Powell e em Brainard.

Na China, foi mantida a taxa de juros para empréstimos de curto (3,85%) e longo (4,65%) prazos pelo 19º mês consecutivo. 

Na Europa, a quarta onda da Covid-19 segue demandando atenção com Alemanha e Áustria impondo novas restrições de movimentação.

A Telecom Itália recebeu uma proposta de compra por parte do fundo americano KKR. A negociação pode afetar os negócios da TIM (TIMS3)

Ibovespa: ações

As ações da Vale (VALE3) lideram as altas no Ibovespa nesta segunda-feira (22). Por volta das 13h11, os papéis da empresa subiam 6,62%.

A Alta vem um dia após a mineradora ser condenada a pagar R$ 100 milhões às famílias das vítimas da tragédia ambiental de Brumadinho, ocorrida em janeiro de 2019.

A Bradespar (BRAP4) é a segunda entre as maiores altas. Esta opera com variação positiva de 4,94%.

Logo após aparece Usiminas (USIM5), que registra variação positiva de 4,24%.

Em seguida, surge TIM (TIMS3) que cresce 3,71%.

Por fim, vem Petrobras (PETR4), que opera com elevação de 3,64%.

Dólar

O dólar tem queda de 0,74%, a R$ 5,5718, por volta das 13h11.

O dólar tinha queda nesta sessão, após cinco altas consecutivas ante o real, mas a moeda norte-americana se afastou das mínimas do pregão após a renomeação de Jerome Powell como chair do Federal Reserve impulsionar a moeda norte-americana globalmente.

*Com Agência Reuters e Agência Estado