Ibovespa opera em alta com resultados positivos dos balanços do 2TRI21

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa opera em alta de 0,48%, aos 122.381 pontos, perto das 13h35, nesta quinta-feira (5).

A bolsa de valores tem o dia no campo positivo, especialmente com os resultados do balanço do segundo trimestre da Petrobras (PETR 3 PETR4). Além da alta das ações da companhia, foi anunciada a antecipação de dividendos. Entretanto, a bolsa ainda é afetada pelo tenso ambiente político e receios fiscais no país.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

O que mais mexe no Ibovespa

Como já precificado pelo mercado, o Copom elevou a taxa Selic em 1 ponto porcentual, para 5,25% ao ano. No comunicado, afirmou ainda que outro ajuste de mesma magnitude já pode ser aguardado para a próxima reunião, em 45 dias. Pelo Focus, do Banco Central com as expectativas do mercado, a taxa básica de juros deve alcançar 7% no final do ano. Para o BTG Pactual (BPAC11), a Selic vai a 7,5%. Mas já há casas elevando suas projeções para acima de 8%. A conferir.

O indicador antecedente de emprego, da FGV, subiu 1,6 ponto em julho, chegando a 89,2 pontos. É o maior nível desde janeiro de 2020. 

Na temporada de balanços, destaque para Engie (EGIE3), Sanepar (SAPR4), Eneva (ENEV3), Azul (AZUL4), Arezzo (ARZZ3), Cia Hering (HGTX3), Tupy (TUPY3), Burger King (BKBR3), São Carlos (SCAR3), Tenda (TEND3), Ouro Fino (OFSA3), Banco BMG (BMGB4) e JHSF (JHSF3).

Ontem, a Petrobras reportou lucro de R$ 42,9 bilhões no 2TRI21 e anunciou antecipação do pagamento de R$ 31,6 bilhões aos acionistas.

O dia tem ainda IPO da Raízen, que vem sendo considerado o maior do ano.

Segue a crise política em Brasília, com Supremo Tribunal Federal (STF) aceitando notícia-crime do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra Jair Bolsonaro, dentro do inquérito das fake news.

Ontem, o presidente anunciou que o novo Bolsa Família se chamará Auxílio Brasil e terá 50% de reajuste, indo de R$ 192 para “no mínimo” R$ 300, como disse o presidente – em ano pré-eleição, já cogita-se R$ 400. O mercado acompanha, atento ao risco fiscal.

Exterior

A quinta-feira (5) começa com mercados futuros de Nova York em tendência de alta, buscando compensar a queda de ontem, que veio das incertezas quanto ao crescimento econômico e das falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed), que vêm apontando retirada de estímulos já a partir de outubro.

Entre os indicadores, pela manhã, saíram os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA, que ficaram em 385 mil, em linha com os 384 mil aguardados pelo mercado. Na semana anterior, foram 399 mil (revisados de 400 mil anunciados anteriormente). 

O dado ganha relevância à medida que o Federal Reserve (Fed) considera os dados sobre emprego fundamentais para promover o tapering (retirada de estímulos econômicos).

Ontem, a pesquisa ADP, prévia do payroll (folha de pagamentos oficial norte-americana), decepcionou, apontando a criação de 330 mil vagas no setor privado, quando o mercado aguardava por números mais robustos. 

O resultado do payroll será conhecido nesta sexta-feira e a expectativa gira em 900 mil novos postos de trabalho.

O déficit comercial dos EUA subiu a US$ 75,7 bilhões em junho, subindo US$ 4,8 bilhões dos US$ 71 bilhões de maio. A projeção do mercado era por déficit menor, de US$ 74,2 bilhões.

As exportações somaram US$ 207,7 bilhões (alta de 0,6%) e as importações, US$ 283,4 bilhões (alta de 2,1%).

Por fim, o Banco Central da Inglaterra manteve a taxa de juros em 0,1% e a recompra de títulos. Em balanços, destaque para Novo Nordisk, Moderna, Merck, Mercado Libre e Duke Energy.

Ibovespa: ações

As ações da Petrobras (PETR4) são destaque na sessão de hoje no Ibovespa. Por volta das 13h35, os papéis da petroleira disparam a 10,37%. Em seguida, a Petrobras (PETR3), que têm alta de 9,21%.

Os papéis da petroleira surfam nos bons números do 2TRI21. A companhia lucrou R$ 42,8 bilhões de forma líquida no segundo trimestre de 2021, revertendo prejuízo de R$ 2,7 bilhões do mesmo período do ano passado.

O número é ainda 35 vezes mais do que o lucro de R$ 1,1 bilhão registrados no primeiro trimestre deste ano e mais do que o dobro do que os R$ 19,5 bilhões que o mercado esperava.

A terceira alta do dia é da Banco Inter (BIDI11), que tem elevação de 2,77%.

Em seguida, vem a Embraer (EMBR3), com valorização de 2,40%, e o PetroRio (PRIO3), com alta de 1,73%, fechando a lista.

Dólar

O dólar tem alta de 0,15%, a R$ 5,1784, por volta das 13h35.

A moeda sobe, após passar a manhã em queda. No início do dia, o real era a emergente ligada a commodities mais valorizada frente o dólar no exterior. De acordo com a Agência Estado, isso ocorreu pelo impacto dos ajustes ao Copom mais agressivo, que gerou expectativas de entrada de fluxo e estimulou redução de posições cambiais defensivas hoje.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3