Ibovespa opera em queda com preocupações fiscais no cenário doméstico

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

O Ibovespa opera em queda de 0,66%, aos 102.266 pontos, perto das 16h15, nesta quinta-feira (18).

O Ibovespa não mostrava uma direção firme no pregão do dia, após três sessões de queda. Apesar de ter flertado com o sinal positivo no início das negociações, os temores do mercado com a política fiscal continuam. Investidores seguem atentos às questões em torno da PEC dos Precatórios.

O que mexe no Ibovespa

A quinta-feira é de agenda fraca no Brasil, com destaque para IPC-Fipe, que mede a inflação em São Paulo, subindo 0,98% na segunda leitura de novembro. Também hoje cedo foi divulgada a segunda prévia do mês para o IGP-M, inflação do aluguel, que avançou 0,76%

A Secretaria de Política Econômica (SPE) publicou suas estimativas para o PIB ontem (17). O de 2021 foi de 5,3% para 5,1% entre setembro e novembro. Para 2022, a projeção foi cortada para 2,10%, ante 2,50% da leitura anterior. A partir de 2023, a expectativa é de crescimento de 2,5% ao ano.

Os números, no entanto, contrastam com a visão do mercado, captada pelo último Boletim Focus, que aponta PIB a 4,88% em 2021 e 0,93% em 2022.

Para o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, as projeções do Ministério da Economia vão se revelar corretas, como estavam em 2019, 2020 e 2021, mesmo quando na contramão das estimativas feitas pelo mercado.

Paralelamente, seguem as discussões sobre a PEC dos Precatórios, agora com nova polêmica: conceder ou não reajuste aos funcionários públicos no ano que vem dentro da brecha que será aberta no Orçamento, caso a emenda seja aprovada.

Exterior

No exterior, a agenda do dia também é esvaziada, com destaque para os novos pedidos de seguro-desemprego, que atingiram 268 mil na semana encerrada em 13 de novembro. Foi uma queda de 1.000 pedidos com relação à semana anterior, mas ainda assim acima da projeção de 260 mil.

Na Europa, a escalada da inflação aumenta as apostas de que os bancos centrais de lá terão que mexer nos juros antes do previsto. Na zona do euro, os preços subiram 4,1% em outubro, na base anual, mais que o dobro da meta do Banco Central Europeu. No Reino Unido, foi de 4,2% nos 12 meses até outubro, a maior em quase uma década.

Já na Ásia, a incorporadora Evergrande pretende levantar cerca de US$ 273 milhões com venda de ações da empresa HengTen Networks, de streaming. A venda é mais um esforço na tentativa de levantar capital e evitar o colapso da empresa.

O preço do petróleo recua, com EUA e China indicando que vão liberar reservas estratégicas.

Ibovespa: ações

As ações da Alpargatas (ALPA4) lideram as altas no Ibovespa nesta quinta-feira (18). Por volta das 13h25, os papéis da empresa subiam 4,61%.

A Meliuz (CASH3) é a segunda entre as maiores altas. Esta opera com variação positiva de 4,57%.

Logo após aparece Intermédica (GNDI3), que registra variação positiva de 3,99%.

Em seguida, surge Hapvida (HAPV3) que cresce 3,97%.

Por fim, vem Natura (NTCO3), que opera com elevação de 3,33%. A Natura (NTCO3) informou que a gestora norte-americana BlackRock vendeu parte de sua participação no capital social da empresa de cosméticos.

A BlackRock informou em 17 de novembro de 2021 que sua participação era de 69.212.093 ações ordinárias (ON), equivalentes a 5,01% do total de ações de emissão da Natura. Em 12 de novembro de 2021, atingiu 67.848.919 papéis ON, equivalentes a 4,91% do total.

Dólar

O dólar tem alta de 0,22%, a R$ 5,5416, por volta das 13h25.

O dólar sobe com a agenda doméstica esvaziada. O mercado reflete a uma piora das expectativas sobre a atividade interna neste ano e em 2022, em meio à inflação e taxa Selic em alta forte no País, além do impasse sobre a PEC dos Precatórios no Senado que realimenta a aversão a risco.

*Com Agência Reuters e Agência Estado