Ibovespa opera em alta, ata do FOMC traz leve fôlego a mercados de NY

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa opera em alta de 1,50%, aos 113.860 pontos, perto das 16h10, nesta quarta-feira (13).

O Ibovespa iniciou o pregão do dia em queda, chegando aos 111 mil pontos, mas virou para o positivo, se aproximando dos 114 mil pontos no começo da tarde. O índice se sustenta no azul, mas a influência positiva das bolsas do exterior era contrabalançada por perdas das ações de maior relevância na carteira.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Exterior

Os mercados futuros de Nova York operam mistos, depois de uma terça (12) de quedas, quando Dow Jones recuou 0,34%, S&P 500, 0,24%; e Nasdaq, 0,14%.

O Fed (Federal Reserve, o banco central americano) divulgou nesta quarta (13) a ata do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto, na sigla em inglês), formado por dirigentes da instituição. Os membros discutiram em sua reunião de 22 de setembro o início do tapering, que pode ser iniciado em meados de novembro se for anunciado na próxima reunião.

A ata diz que parte do Comitê julga que uma redução mais rápida no ritmo de recompras de ativos pode ser necessária.

A instituição manteve as taxas de juros de referência perto de zero, mas indicou que os aumentos das taxas podem ocorrer em breve, ao mesmo tempo em que reduz significativamente suas perspectivas econômicas para este ano.

Ainda nos EUA, tem início hoje a temporada de balanços do terceiro trimestre, com anúncios dos grandes bancos.

Na China, a balança comercial registrou em setembro superávit de US$ 66,76 bilhões, bem acima da projeção de US$ 46,80 bi. As exportações cresceram 28,1% na comparação com setembro de 2020, enquanto as importações avançaram 17,6%.

Em Hong Kong, as negociações foram interrompidas por conta de uma alerta de tufão.

No Reino Unido, uma prévia do PIB do segundo trimestre apontou crescimento de 0,4% em agosto e 6,9% no ano. Na zona do euro, a produção industrial caiu 1,6% em agosto na comparação com o mês anterior. Por fim, na Alemanha, o IPC teve alta de 4,1% em setembro na comparação anual. 

O que mexe no Ibovespa

A volta do feriado de Nossa Senhora Aparecida é de agenda esvaziada. Os destaques da semana ficam por conta da Pesquisa Mensal de Serviços, que sai amanhã (14) e do IGP-10 e do IBC-Br (prévia do PIB), que serão divulgados na sexta (15).

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu um pouco a projeção do crescimento do Brasil para 2021, de 5,3% da estimativa de julho, para 5,2%. Para 2022, a revisão foi maior: 1,9% para 1,5%. A justificativa é a alta dos juros, em consequência da inflação, e a desaceleração do crescimento dos EUA, que deve impactar por aqui.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Projeções do FMI para o PIB

FMI

 

Ibovespa: ações

As ações do GPA (PCAR3) lideram as altas na sessão de hoje no Ibovespa. Por volta das 13h11, os papéis da empresa subiam 6,95%.

Depois, vem Banco Pan (BPAN4), que opera com elevação de 6,98%. Em seguida, Cogna (COGN3), com elevação de 6,42%. Ela é seguida por Eztec (EZTC3), que sobe 5,79%.

E por fim, vem B3 (B3SA3), que sobe 5,03%.

Dólar

O dólar tem queda de 0,41%, a R$ 5,5100, por volta das 16h10.

De acordo com a Agência Reuters, o Banco Central despejou 1 bilhão de dólares no mercado de câmbio por meio de uma venda surpresa de contratos de swap cambial tradicional, provocando uma reviravolta no dólar, que despencou após o anúncio do leilão e aprofundou as perdas após a divulgação do resultado.

O BC vendeu 20 mil contratos de swap cambial tradicional nesta quarta, pegando de surpresa um mercado que havia empurrado poucos minutos antes das 15h o dólar à vista acima de 5,57 reais e o dólar futuro já para perto de 5,59 reais.