Ibovespa sobe 1,34%, aos 116.518 pontos; Weg (WEGE3) e Via Varejo (VVAR3) puxam alta

Joana Kurtz
null
1

Crédito: Reprodução / Pixabay

O Ibovespa passou o dia no terreno positivo, em meio à divulgação de balanços de diversas companhias e de notícias menos alarmantes do coronavírus. No fechamento, a alta foi de 1,34%, aos 116.518 pontos.

Weg

A Weg puxou a valorização, com +9,22%, a R$ 48,82, seguida pela Via Varejo, que ganhou 6,21%. A Weg tem se destacado na bolsa de valores, com altas seguidas. Hoje teve o impulso adicional da divulgação de seu balanço, que mostrou lucro líquido de R$ 500,487 milhões no quarto trimestre de 2019, com alta de 49,3% na comparação com igual período de 2018.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

A Weg ainda informou que pagará dividendos complementares no valor de R$ 351,8 milhões aos acionistas, o que significa R$ 0,17 por ação.

Gerdau

Gerdau caiu 0,28%, após divulgar lucro líquido consolidado de R$ 102 milhões no quarto trimestre do ano passado, cifra 73,8% inferior à reportada no mesmo intervalo de 2018. Em termos ajustados, por eventos extraordinários que impactaram o resultado, o lucro atingiu R$ 61 milhões, neste critério, redução de 80,4%.

A Gerdau Metalúrgica, que também divulgou balanço, empolgou mais e subiu 3,83%, ficando entre as principais altas do Ibovespa.

EDP e EcoRodovias

EcoRodovias subiu 1,69%. No quarto trimestre de 2019, o lucro líquido foi de 79,2 milhões, alta de 40% em relação ao mesmo período de 2018.

EDP Energias do Brasil teve alta de 2,27%. A empresa registrou um lucro líquido recorde de R$ 1,3 bilhão em 2019, representando uma alta de 5,1% em relação ao ano imediatamente anterior.

No último trimestre de 2019, o lucro atingiu R$ 499,3 milhões, uma redução de 4,7% na comparação com o mesmo período de 2018.

Minerva

Fora do Ibovespa, Minerva teve alta de 0,40%. No ano, a empresa registrou Ebitda ajustado de R$ 1,7 bilhão, maior patamar histórico, com margem de 10,2%, um aumento de 70 pontos-base ano contra ano.

IRB

O IRB (Instituto de Resseguros do Brasil) iniciou o dia liderando as altas do Ibovespa, com avanço superior a 5%, mas fechou com um ganho mais modesto, de 1,51%. Depois da polêmica com a gestora Squadra, que questionou números de seus balanços, o IRB divulgou resultados fortes, na noite desta terça-feira (18).

Para minimizar a desconfiança dos investidores, o IRB escreveu que contou com duas empresas de auditoria.

Desde o início do embate com a gestora, no começo do mês, o papel acumulava queda de cerca de 19%, até o último pregão.

Além do balanço, o papel foi impulsionado pelo anúncio de recompra de ações. A empresa vai adquirir até 41,898 milhões de ações, que representam 5% do total de ações em circulação no mercado. O programa se encerra em 18 de agosto de 2021.

Smiles

Smiles fechou com alta de 0,45%. A empresa apresentou um lucro de R$ 179,5 milhões no quarto trimestre de 2019, valor 9,1% maior do que o mesmo período do ano passado.

Mas, no ano, o lucro líquido alcançou R$ 626,7 milhões em 2019, 3% menor em relação a 2018, quando a empresa faturou R$ 645,8 milhões.

Telefônica Vivo

Telefônica Vivo subiu 1,02%. A empresa apresentou um lucro líquido recorrente 9,9% menor no quarto trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, atingindo R$ 1,396 bilhão. No ano, a soma foi de R$ 5 bilhões.

Petrobras

As ações da Petrobras, que divulga balanço nesta noite, subiram 1,97% (ON) e 2,69% (PN).

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3