Ibovespa opera em queda, renovando mínimas do dia

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa vira e opera em queda de 0,45%, aos 128.182 pontos, perto das 15h21, nesta quarta-feira (23).

Ibovespa virou e chegou a renovar a mínima do dia com falas de “hawkish” do presidente do Fed de Atlanta. Bostic afirma que espera que juros comecem a subir nos EUA já no fim de 2022, com duas altas em 2023. Além disso, disse que o Fed está perto de atingir os “requisitos” para o “tapering”.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Dow Jones opera em queda de 0,08%, S&P em alta de 0,04% e Nasdaq sobe 0,17%.

O que mais mexe no Ibovespa

No país, atenções voltadas para a apresentação no Congresso da proposta inicial de Reforma Tributária, que deve incluir a tributação dos dividendos e o fim da dedução do valor de juro sobre capital pago pelas empresas aos investidores.

O mercado ainda reage à ata da última reunião do Copom, que apontou Selic a pelo menos 6,5% até o final do ano e uma possível subida mais acelerada do que o ritmo atual de 0,75 ponto porcentual por encontro do comitê. Cresce a parcela do mercado que aposta em alta de 1 ponto na próxima reunião, o que levaria a Selic a 5,24% em agosto.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S) da FGV recuou de 0,72% para 0,57% na terceira leitura de junho. Nos últimos 12 meses, o indicador acumula alta de 8,22%. Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação.

Por fim, o Ministério da Saúde pretende pedir ao Banco Mundial um crédito de R$ 3 bilhões a serem pagos em 20 anos para acelerar a compra de vacinas contra a Covid.

Exterior

Conforme Agência Reuters, as falas de ontem do presidente do Federal Reserve, Jerome powell, tranquilizaram os investidores. A avaliação é que ele atenuou o discurso da semana passada, em que sinalizou para uma possível antecipação da elevação dos juros para 2023.

Powell descartou uma alta preventiva de juros. Ele acredita que a alta da inflação americana faz parte do desequilíbrio temporário entre demanda e oferta por conta da pandemia. Desta forma, acredita-se que a economia ainda precisa contar com estímulos monetários.

No mais, o chefe do Fed se mostrou otimista com a recuperação econômica e afirmou que aguarda uma retomada mais forte do emprego para agosto.

Hoje teve divulgação de leitura prévia do Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês).

Na zona do euro, o PMI industrial ficou em 63,1 pontos, em linha com a projeção. O de serviços ficou em 58, acima da expectativa de 57,8. E o composto (que une indústria e serviços) ficou em 59,2, acima da projeção de 58,8 pontos.

Ibovespa: ações

As ações da CVC (CVCB3) tem a maior alta no início desta tarde. Por volta das 13h10, as ações do empresa operavam com valorização de 5,35%. Em seguida, o Banco Inter (BIDI11) sobe com 3,85%.

A Usiminas (USIM5) sobe com 2,92% e Braskem (BRKM5), com 2,70%. Por fim, a Localiza (RENT3) tem alta de 1,93%.

Dólar

O dólar tem queda de 0,10%, a R$ 4,9526, por volta das 13h12.

De acordo com a Agência Estado, o dólar chegou a renovar a máxima do dia, com R$ 4,980 (alta de 0,28%), reagindo à fala do ministro da Economia, Paulo Guedes. Conforme o ministro, o governo deve anunciar ainda nesta semana a renovação por mais três meses do auxílio emergencial, até outubro.

Mas o mercado ainda está otimista com as falas do presidente do Federal Reserve, influenciando a flutuação do dólar ante o real. Ontem, a moeda caiu 1,13%, ficando com R$ 4,9661, o menor patamar desde 11 de junho do ano passado, quando valia R$ 4,9760.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3