Ibovespa perde 103 mil pontos em véspera de FED e COPOM

Em uma semana marcada pela expectativa de um novo ciclo de cortes nos juros por parte do Copom (Comitê de Política Monetária) e do FED (Federal Reserve), os mercados europeus e os índices futuros americanos operam em território negativo no início desta manhã.

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st
Trump e Bolsonaro

Crédito: (Kevin Lamarque/Reuters)

A exceção ocorreu nos mercados asiáticos que fecharam em alta com a confirmação do banco central japonês, que optou em não mexer em sua política monetária neste momento. Outro ponto importante diz respeito às negociações comerciais entre americanos e chineses, que devem iniciar a partir de hoje, com a chegada da delegação americana  em Xangai.

Fechamento mercado asiático

Japão: NIKKEI [+0,43%]
China: SHANGAI [+0,39%]
Hong Kong: HANG SENG [+0,14%]

Petróleo – Fechamento

WTI + 2,07% (US$ 58,05)
Brent + 1,58% (US$ 64,63)

Europa

Na zona do euro, o índice de confiança do consumidor atingiu 6,6 pontos negativos em julho, em linha com as projeções do mercado, as principais bolsas europeias trabalharam no terreno negativo

EUROSTOXX [-1,72%]
DAX (Alemanha) -2,18%
CAC 40 (França) -1,61%
FTSE 100 (Reino Unido) -0,52%
FTSE MIB (Itália) -1,99%

Bolsas de NY

Wall Street opera com investidores à espera da decisão do FED amanhã, de olho também em balanços importantes divulgados hoje, tais como: Apple, Phillips, Mastercard, Pfizer. Procter & Gamble e Sony.

Dow Jones [-0,9%]
S&P 500 [-0,26%]
Nasdaq [-0,24%]

Ibovespa

A queda verificada nos futuros das bolsas em NY, impuseram um forte golpe na abertura do índice, liderada especialmente pelo segmento bancário. Itaú puxou a maior queda, seguido por Bradesco e Banco do Brasil.

O setor financeiro pesou na liderança do ranking negativo do Ibovespa, que fechou em queda de 0,53% (102.932,76 pontos), entre a máxima de 103.554,99 e a mínima de 102.596,13.

Volume financeiro a exemplo do ocorrido ontem, ficou abaixo das médias recentes (R$15 BI) caindo especialmente no período da tarde, somando no final do dia R$ 11,4 bilhões.

Destaque do dia

As quedas mais expressivas ficaram por conta do Itaú (-3,32%, R$ 35,77), que divulgou seu balanço, ontem à noite, e causou preocupação devido ao recuo de sua carteira de crédito.

Santander seguiu a lista de maiores quedas (-3,10%), fechando na sua mínima do dia, cotado a R$ 43,75. Bradesco PN (-2,07%, R$ 35,40), Bradesco ON (-1,74%, R$ 32,20) e Itaúsa (-1,62%, R$ 12,78) completaram a fila.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Entre as blue chips, nem mesmo a Ambev, um dos destaques de ontem, escapou (-0,78%, R$ 20,34).

Vale e Petrobras mostraram forte cautela antes da divulgação de seus balanços (quarta e quinta-feira respectivamente). Deixando de surfar a alta do petróleo, Petrobras PN, -0,53% (R$ 26,24) e Petrobras ON, -0,66% (R$ 28,70). O papel da companhia vem tendo desempenho ruim desde a divulgação de seu relatório de produção e a revisão em baixa das metas do petróleo, na semana passada.

Já a Vale, fechou na mínima de R$ 50,01 (-0,50%) tentando antecipar o impacto das provisões de indenizações às vitimas de Brumadinho.

Tuíte poderoso

Donald Trump tratou de colocar água no chope, naqueles que estavam otimistas com um acerto comercial iminente após o início das tratativas em Xangai.

Crédito da imagem: Anthony Behar/Sipa USA/AP

Em sua conta oficial no twitter, Trump afirmou que a China usualmente não cumpre o prometido. As declarações, somada à cautela nos mercados em véspera de anúncio do FED, devem gerar extrema cautela nos mercados.

Carteira Wisir

Mesmo com toda a volatilidade típica de uma semana de reuniões nos bancos centrais mundo afora e a divulgação de balanços importantes, a carteira semanal recomendada pela Wisir Research, na figura de seu analista-chefe Gustavo Massotti (CNPI: 1822) acumula ganhos acima dos 3% neste início de terça-feira.

Confira o desempenho da carteira até o momento:

Analista responsável: Gustavo Massotti (CNPI:1822)

Trump dos trópicos

Trump e Bolsonaro

(Kevin Lamarque/Reuters)

Coincidindo com a visita nesta semana, do secretário de Comércio americano, Wilbur Ross, o presidente americano Donald Trump falou sobre o Brasil e o presidente Bolsonaro hoje pela manhã. Sobre o Brasil, Trump afirmou:

“Vamos trabalhar em um acordo de livre comércio com eles” e “O Brasil nos cobra muitas tarifas, mas, fora isso, amamos a relação com o País”

O presidente rasgou elogios a Bolsonaro e sua “família maravilhosa”, dando a entender que se referia ao pedido de agrément, feito pelo governo brasileiro para que Eduardo Bolsonaro assuma a embaixada em Washington.

Cabe lembrar que após o aceite diplomático de Trump, a indicação de Eduardo deverá passar pela Comissão de Relações Exteriores do Senado e pelo plenário.

Brasil e Eua costuram acordo de livre comércio

Nesta quarta-feira (31), o ministro da economia Paulo Guedes, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e o presidente Jair Bolsonaro, receberão secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, na tentativa de aprofundar a parceria entre as duas nações.

O Ministério da Economia afirmou em nota que “A visita de Wilbur Ross deve consolidar entendimentos para uma relação comercial e industrial forte entre os dois países”

Na pauta do encontro, a retomada do Fórum de CEO’s Brasil – Estados Unidos e a proposição de uma nova agenda de diálogo Comercial Brasil-Estados Unidos, incluindo temas que visam facilitar o comércio e propriedade intelectual.