Ibovespa fecha com alta de 2,29% e avança 10,4% na semana

Rodrigo Petry
Editor-chefe, com 18 anos de atuação em veículos, como Estadão/Broadcast, InfoMoney, Capital Aberto e DCI; e na área de comunicação corporativa, consultoria e setor público; e-mail: rodrigo.petry@euqueroinvestir.com.
1

Crédito: destinonegocio.com

O Ibovespa fechou a sessão desta quarta-feira (29) com alta de 2,29%, cotado a 83.170 pontos, em linha com os mercados de Nova York.

Dessa forma, o principal índice da bolsa brasileira encerrou o seu terceiro pregão com valorização, somando um volume financeiro de R$ 25,6 bilhões.

Na mínima, o índice atingiu 81.312 pontos (0,00%) e, na máxima, 83.598 pontos (+2,81%).

Das 73 ações que compõem o Ibovespa, 57 fecharam e alta e 16 em baixa.

Nesta semana, a bolsa brasileira acumula valorização de 10,41% e, no mês, 13,90%. Já no ano, a queda soma 28,06%.

Já o dólar recuou 2,9%, cotado a R$ 5,3547 na compra e a R$ 5,3552 na venda. Em 12 meses, a moeda, porém, acumula alta de 35,89%.

Powell

No exterior, o destaque ficou por conta da decisão, já precificada pelo mercado, do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos EUA, que manteve as taxas de juros entre 0% e 0,25%.

A decisão do Federal Open Market Committee, ou Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (Fomc) foi tomada de maneira unânime.

Mais do que o resultado, o mercado aguardava pela fala do presidente do Fed, Jerome Powell.

Segundo ele, a recuperação da economia americana depende de “mais estímulos para garantir retomada robusta após a crise do coronavírus”, reportou a CNBC.

“Pode ser que a economia precise de mais apoio de todos nós para que a recuperação seja robusta”, disse Powell em uma entrevista coletiva virtual na quarta-feira, após a decisão política do banco central.

“Será necessário fazer mais? Eu acho que a resposta seria sim”, afirmou, segundo a CNBC.

“Podemos fazer novos ajustes e cortes, para que possamos continuar a recuperação da economia”, completou Powell.

PIB

Além disso, na economia americana foi divulgada a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre.

A retração foi de 4,8%, refletindo a paralisação da economia em razão da pandemia do coronavírus. No quarto trimestre de 2019, o PIB dos EUA havia registrado crescimento de 2,1%.

O mercado segue monitorando ainda os possíveis resultados positivos de testes com o antiviral Remdevisir, desenvolvido pela farmacêutica Gilead, de acordo com novo relatório divulgado pela empresa.

Cerca de metade dos pacientes que tomaram o medicamento contra o Covid-19 deixaram o hospital em duas semanas, informou a CNBC.

Petróleo

No mercado do petróleo, os preços dispararam nesta sessão. As cotações do petróleo WTI deram um salto com a divulgação de dados relativos aos estoques menores que o esperado.

Balanços

Vale divulgou os resultados do primeiro trimestre do ano, mostrando que reverteu prejuízo de R$ 6,4 bilhões no primeiro trimestre de 2019 para lucro de R$ 984 milhões agora.

Também divulgaram balanços:

  • Minerva: lucro de R$ 271,2 milhões, contra prejuízo de R$ 31,4 milhões
  • Cielo: lucro de R$ 166,8 milhões, -69,4%
  • Weg: lucro de R$ 440 milhões, +43,4%
  • Raia Drogasil: lucro de R$ 152,8 milhões, +45%
  • Romi: lucro de R$ 40,8 milhões, – 53,2%

Ações Ibovespa

Mais negociadas:

  • Via Varejo (VVAR3): +1,55%
  • Petrobras PN (PETR4): +5,86%
  • IRB (IRBR3): +13,89%

Maiores altas:

  • CSN (CSNA3): +16,39%
  • IRB (IRBR3): +13,89%
  • Cogna (COGN3): +12,25%

Maiores quedas:

  • Magazine Luiza (MGLU3): -2,28%
  • Klabin (KLBN11): -2,17%
  • Rumo (RAIL3): -2,58%

Ibovespa em 3 meses

29-ibov-1-min

Fonte: TradingView

Nova York 

  • S&P: +2,66%
  • Nasdaq: +3,57%
  • Dow Jones: +2,21%

Petróleo

  • Brent (julho 2020): US$ 2,94 (+12,12%)
  • WTI (junho 2020): US$ 15,24 (+23,50%)

Europa 

  • DAX, Alemanha: +2,89%
  • FTSE, Inglaterra: +2,63%
  • CAC, França: +2,22%
  • FTSE MIB, Itália: +2,21%
  • Stoxx 50: +2,18%

Ásia 

  • Nikkei, Japão: -0,06%
  • Xangai, China: +0,44%
  • HSI, Hong Kong: +0,28%
  • ASX 200, Austrália: +1,51%
  • Kospi, Coreia: +0,70%