Ibovespa avança 1,29% e fecha semana com alta de 1,61%

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Arte / EQI

Em dia de vencimento de opções, o Ibovespa fechou o pregão desta sexta-feira (15) em alta de 1,29%, aos 114.647,99 pontos. O volume negociado hoje foi de R$ 30,96 bilhões. Já no acumulado da semana, o índice fechou positivo em 1,61%, maior alta semanal para outubro.

O destaque dos indicadores de hoje foi o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB). O indicador recuou 0,15%, melhor que a projeção de queda de 0,20% do BTG Pactual (BPAC11).

Também foi divulgado o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), da FGV, que  caiu 0,31% em outubro, ante recuo de 0,37% em setembro. No ano, a alta é de 16,08% e, em 12 meses, de 22,53%. Novamente, o minério de ferro, com queda de 19,46%, responde por boa parte do resultado.

O IGP-10 é uma das versões do IGP, mas com levantamento de preços feito em um recorte de tempo diferente (do dia 11 do mês anterior até o dia 10 do mês atual).

Ainda no radar seguem as indefinições sobre o Auxílio Brasil e a prorrogação do Auxílio Emergencial, que lançam novamente dúvidas quanto ao respeito ao teto de gastos.

Confira a evolução do Ibovespa na semana, em cada fechamento de sessão:

  • segunda-feira (11): -0,58% (112.180 pontos)
  • terça-feira (12): fechado
  • quarta-feira (13): +1,14% (113.455,92 pontos)
  • quinta-feira (14): -0,24% (113.185 pontos)
  • sexta-feira (15): +1,29% (114.650)
  • semana: +1,61%
  • 2021: -2,97%

Destaques da bolsa

Das 91 ações negociadas na bolsa, 61 subiram, 21 ficaram estáveis e outras 28 caíram em relação à sessão anterior.

Mais negociadas

EmpresaTickerPreçoOscilação
PETROBRASPETR4R$ 29,55-0,44%
VALEVALE3R$ 80,50+1,64%
ASSAIASAI3R$ 17,57-1,62%
ITAÚ UNIBANCOITUB4R$ 24,81+2,78%
BRADESCOBBDC4R$ 21,32+5,44%

Maiores altas

EmpresaTickerPreçoOscilação
PÃO DE AÇÚCARPCAR3R$  27,6811,85%
AMERICANASAMER3R$  34,299,18%
LOJAS AMERICANASLAME4R$   4,996,41%
CIELOCIEL3R$   2,485,65%
BRADESCOBBDC4R$   20,225,24%

Maiores baixas

EmpresaTickerPreçoOscilação
MÉLIUZCASH3R$    5,163,49%
TOTVSTOTS3R$  36,222,57%
LOCAWEBLWSA3R$  22,342,01%
MARFRIGMRFG3R$  27,701,99%
BR DISTRIBUIDORBRDT3R$  24,981,72%

Dólar

  • segunda-feira (11): +0,52% a R$ 5,536
  • terça-feira (12): -0,08% a R$ 5,532
  • quarta-feira (13): -0,51%, a R$ 5,5091
  • quinta-feira (14): +0,13% a R$ 5,516
  • sexta-feira (15): -1,11% a R$ 5,454
  • semana: -1,05%

Euro

  • segunda-feira (11): +0,33% a R$ 6,395
  • terça-feira (12): -0,24% a R$ 6,380
  • quarta-feira (13): +0,13% a R$ 6,388
  • quinta-feira (14): +0,17% a R$ 6,396
  • sexta-feira (15): -1,05% a R$ 6,329
  • semana: -0,66%

Criptomoedas*

  • Bitcoin: +8,49% a R$ 334.583,39
  • Ethereum: +3,86% a R$ 21.003,05
  • Tether: +1,77% a R$ 5,45
  • Cardano: +4,32% a R$ 12,12
  • Binance: +3,34% a R$ 2.587,45

*(variação nas últimas 24h – corte: 17h)

Mercados do exterior

Os mercados globais operaram no positivo, repercutindo os bons resultados corporativos. Os grandes bancos, Bank of America, Morgan Stanley e Citigroup entre eles, reportaram resultados acima do esperado. O Goldman Sachs reportou nesta manhã lucro líquido de US$ 5,38 bilhões.

Dados sobre o mercado de trabalho nos EUA também deram fôlego às bolsas. Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA vieram pela primeira vez abaixo de 300 mil. Foram 293 mil reivindicações, mas é preciso lembrar que esse número já superou 6 milhões na fase mais aguda da pandemia e permaneceu acima de 1 milhão até agosto do ano passado. E o número se aproxima semana a semana dos 256 mil pré-pandemia.

As vendas no varejo nos EUA, divulgadas hoje, surpreenderam positivamente, subindo 0,7%, quando a projeção era de recuo de 0,2%.

O cenário macro, no entanto, segue desfavorável. A inflação segue mais duradoura do que o esperado, o avanço nos preços do petróleo e do gás natural vem pressionando ainda mais os preços e as projeções de crescimento apontam para uma desaceleração global. Vale lembrar que os mercados também se preparam para uma redução de liquidez a partir de novembro, com o início da retirada de estímulos pelo Federal Reserve.

Bolsas mundiais

Nova York

  • Dow Jones: +1,09%
  • S&P 500: +0,73%
  • Nasdaq: +0,50%

Europa

  • Euro Stoxx 50 (Europa): +0,82%
  • DAX (Alemanha): +0,81%
  • FTSE 100 (Reino Unido): +0,37%
  • CAC (França): +0,63%
  • IBEX 35 (Espanha): +0,81%

Ásia e Oceania

  • Shanghai (China): +0,40%
  • Hang Seng HSI (Hong Kong): +1,48%
  • SET (Tailândia): -0,16%
  • Nikkei (Japão): +1,81%
  • ASX 200 (Austrália): +0,69%
  • Kospi (Coreia do Sul): +0,88%

Commodities

Petróleo

  • Brent (dezembro 2021): US$ 84,74 (+0,88%)
  • WTI (dezembro 2021): US$ 82,28 (+1,19%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2021): US$ 1.767,90 (-1,66%)