Ibovespa sustenta alta com menor tensão interna

Marcia Furlan
null

Crédito: Divulgação / Amanha.com

O Ibovespa sustenta a alta nesta terça-feira (28) apesar de as bolsas de Nova York terem invertido o sinal no fim da manhã. Às 13h05, a bolsa brasileira operava com valorização de 3,30%, aos 80.821 pontos, impulsionada pela percepção que a crise política interna está por ora controlada, após as demonstrações de apoio ao ministro da Economia Paulo Guedes por Jair Bolsonaro e resultados de pesquisas indicarem que a legião de seguidores do presidente se mantém, mesmo com a saída de Sérgio Moro.

Nomeações

Foi publicada no Diário Oficial essa manhã a nomeação de André Mendonça, da Advocacia- Geral da União, para o Ministério da Justiça. Para a diretoria-geral da Polícia Federal, Bolsonaro indicou mesmo Alexandre Ramagem, apesar das resistências ao seu nome pela proximidade com a família do presidente.

Inflação

O IBGE divulgou o IPCA-15 de abril, que registrou uma deflação de 0,01%, mostrando a tendência de queda da inflação. Em 12 meses, o índice acumula uma variação de 2,92% e de 0,94% no ano. Foi o menor resultado para o mês desde o Plano Real.

A Petrobras comunicou resultados da produção no primeiro trimestre, que avançou 14,6% e atingiu 2,909 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed). Já na comparação com o quarto trimestre de 2019, houve queda de 3,8%.

O dólar comercial está cotado a R$ 5,5576, com queda de 1,79%.

Exterior

As bolsas de NY inverteram o sinal há pouco após declarações do secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchim, de não haverá resgate para estados em dificuldades e, especialmente, recompra de ações de empresas pelo Fed, segundo informações do BDM.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

A notícia tira parte do impulso motivado pela reabertura de estabelecimentos em diversos estados norte-americanos e em alguns países da Europa.

Balanços

O banco espanhol Santander anunciou uma queda de 82% em seu lucro líquido no primeiro trimestre em termos consolidados. Já a operação brasileira do banco registrou alta de 10,5% no lucro, somando R$ 3,8 bilhões. O bom resultado tem empurrado para cima as cotações dos papéis do setor bancário hoje na bolsa brasileira.

A Pfizer registrou lucro por ação de 80 centavos, 7 centavos acima das previsões divulgadas pela Refinitiv. As vendas totais da empresa somaram US$ 12 bilhões queda de 8% em relação ao primeiro trimestre de 2019. A Pfizer reafirmou suas previsões para o 2020, enquanto trabalha para desenvolver uma vacina contra a Covid-19.

A Caterpillar registrou um recuo no seu lucro por ação de US$ 3,25 no primeiro trimestre de 2019 para US$ 1,60 agora. A receita somou US$ 10,6 bilhões, queda de 21% na mesma base de comparação. A empresa informou que não fará previsões a respeito dos resultados de 2020 em função da “contínua incerteza econômica global”, de acordo com a CNBC.

A 3M reportou um lucro por ação de US $ 2,16 e receitas de US $ 8,08 bilhões no primeiro trimestre, um crescimento de 2,7% na comparação anual. A companhia disse que registrou fortes resultados em sua unidade de segurança pessoal, em razão da produção de máscaras de respiração N95 em meio ao surto de Covid-19.

O suíço UBS teve um aumento de 40% em seu lucro líquido.

Vamos ao desempenho dos mercados às 13h05.

Ações

Mais negociadas

  • Via Varejo (VVAR3): +14,00%
  • Petrobras PN (PETR4): +2,67%
  • Itaú (ITUB4): +8,30%
  • Banco do Brasil (BBAS3): +10,51%
  • Bradesco (BBDC4): +8,93%

Maiores altas:

  • Via Varejo (VVAR3): +14,00%
  • Banco do Brasil (BBAS3): +10,51%
  • CVC (CVCB3): +11,08%
  • Smiles (SMLS3): +9,57%
  • Santander (SANB11): +9,62%

Maiores quedas

  • IRB (IRBR3): -4,33%
  • Suzano (SUZB5): -3,17%
  • GPA (PCAR4): -1,84%
  • BRF (BRFS3): -1,85%
  • Bradespar (BRAP4): -1,02%

Nova York 

  • S&P: -0,25%
  • Nasdaq: -1,32%
  • Dow Jones: -0,03%

Petróleo

  • Brent (julho 2020): US$ 22,80 (-1,17%)
  • WTI (junho 2020): US$ 11,93 (-6,65%)

Europa (fechamento)

  • DAX, Alemanha: +1,27%
  • FTSE, Inglaterra: +1,56%
  • CAC, França: +1,43%
  • FTSE MIB, Itália: +1,71%
  • Stoxx 50: +1,73%

Ásia (fechamento)

  • Nikkei, Japão: -0,06%
  • Xangai, China: -0,19%
  • HSI, Hong Kong: +1,22%
  • ASX 200, Austrália: -0,16%
  • Kospi, Coreia: +0,59%