Ibovespa sobe 1,68% na semana e dólar recua a R$ 5,23

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

O Ibovespa encerrou semana com alta de 1,68%, aos 78.990 pontos, acumulando expansão de 8,18% no mês de abril.

Nesta sexta-feira (17), a bolsa brasileira registrou alta de 1,51%, com volume financeiro de R$ 19,63 bilhões.

Na mínima, o índice atingiu 77.754 pontos (-0,07%) e, na máxima, 79.846 pontos (+2,62%).

Os índices norte-americanos encerram em alta e acumulam ganhos na semana, com expectativa por tratamento contra o coronavírus e medidas de flexibilização.

Já na abertura, os mercados mostravam entusiasmo com testes bem-sucedidos de uma nova droga, em um hospital de Chicago, contra a Covid-19, que poderia sinalizar a antecipação do retorno às atividades.

O dólar à vista recuou 0,38%, cotado a R$ 5,2364 na compra e a R$ 5,2369 na venda.

Exterior

Lá fora, os investidores demonstraram tranquilidade com a inédita queda do PIB chinês, considerando que o resultado veio acima das expectativas em quase três pontos.

O país asiático registrou um recuo de 6,8% no primeiro trimestre, o primeiro recuo desde 1992.

Adicionalmente, o mercado reagiu também ao anúncio, na véspera, feito pelo presidente norte-americano Donald Trump das diretrizes para reabrir por etapas a economia dos EUA.

Segundo ele, “os especialistas dizem que curva foi achatada e o pico (da doença) ficou para trás”.

No corporativo, destaque para os balanço da Procter & Gamble, que viu seu lucro crescer para US$ 2,92 bilhões no primeiro trimestre do ano, ante US$ 2,75 bilhões do mesmo período do ano passado.

A receita da P&G somou US$ 17,21 bilhões, aumento de 5%, beneficiada pela demanda maior de produtos de higiene, como papel higiênico, em decorrência da pandemia.

Petróleo

Já o mercado de petróleo encerrou o dia de forma mista.

Enquanto o contrato com vencimento mais curto do WTI desabou 8%, o contrato de junho ficou mais comportado.

As referência internacionais seguem sem um rumo, ao passo que permanecem as incertezas sobre o equilíbrio de oferta e demanda.

Brasil

Por aqui, a polêmica troca no ministério da Saúde, com a saída de Luiz Henrique Mandetta e a entrada de Nelson Teich, seguiu rendendo.

Na posse nesta manhã, o novo titular da pasta evitou se posicionar claramente sobre o relaxamento do isolamento social, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, e disse que o foco são as pessoas. Também propôs parceria com Estados, mas não detalhou planos.

No seu discurso, Bolsonaro voltou a falar que a economia também tem que ser levada em conta e defendeu a retomada das atividades.

Quase simultaneamente, o governador de São Paulo, Joao Doria, anunciou que a quarentena no Estado será ampliada até 10 de maio.

Congresso

Ainda na política, o Senado aprovou nesta sexta-feira (17) em segundo turno a proposta de emenda à Constituição (PEC) 10/2020, conhecida como “Orçamento de Guerra”.

De autoria do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, a PEC institui regime extraordinário fiscal, financeiro e de contratações para enfrentamento da calamidade pública nacional decorrente de pandemia do novo coronavírus.

No primeiro turno, o projeto foi aprovado por 58 a 21. No segundo turno, houve 63 senadores favoráveis e 15 contrários.

O texto volta agora para a Câmara, já que foi alterado no Senado, com a aprovação do substitutivo do senador Antonio Anastasia (PSD-MG, foto).

Ibovespa

Maiores altas

  • Multiplan (MULT3): + 11,4%
  • Localiza (RENT3): +8,2%
  • Gerdau (GGBR4): +5,8%
  • Lojas Renner (LREN3): +5,6%
  • Gerdau Metalúrgica (GOAU4): +5,1%

Maiores quedas

  • Cosan (CSAN3): -5,6%
  • Hering (HGTX3): -5,3%
  • B2W (BTOW3): -4,6%
  • Braskem (BRKM5): -2,7%
  • Lojas Americanas (LAME4): -2,7%

Nova York

  • S&P: +2,99%
  • Nasdaq: +2,68%
  • Dow Jones: +1,38%

Petróleo

  • Brent: US$ 28,35 (+1,91%)
  • WTI: US$ 18,15 (-8,66%)

Europa

  • DAX, Alemanha: +3,15%
  • FTSE, Inglaterra: +2,82%
  • CAC, França: +3,42%
  • FTSE MIB, Itália: +1,71%
  • Stoxx 600: +2,38%

Ásia

  • Nikkei, Japão: +3,15%
  • Xangai, China: +0,66%
  • HSI, Hong Kong: +1,56%
  • ASX 200, Austrália: +1,31%
  • Kospi, Coreia: +3,09%

(Com Rodrigo Petry e Wisir Research)