Bolsa sobe 1,5% com alívio político; dólar recua a R$ 5,81

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: B3 Crédito Rovena Rosa / Agência Brasil

A bolsa brasileira acelerou os ganhos no final do pregão e terminou a sessão com alta de com alta de 1,58%, aos 79.010 pontos.

Durante o dia, o Ibovespa chegou a recuar 2,67%, na mínima, até terminar o pregão na máxima do dia.

O volume financeiro negociado no Ibovespa foi de R$ 29,05 bilhões.

Política

Em meio à crise econômica, o alívio veio após encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e do da Câmara, Rodrigo Maia.

Segundo Bolsonaro, está “tudo bem com Rodrigo Maia” e ambos voltaram “a namorar”.

Já Maia ressaltou que, como presidente da Câmara, “tem obrigação de tentar dialogar”. “A Crise é muito profunda”, acrescentou.

Sobre o inquérito instaurado no Supremo Tribunal Federal (STF) que analisa possível interferência de Bolsonaro na PF, Maia disse que não cabe a ele ficar avaliando.

Maia defendeu ainda que os Poderes, incluindo os governadores, dialoguem.

Dólar

Após um dia de extrema volatilidade, a moeda norte americana encerrou cotada R$ 5,81.

Entretanto o dólar chegou a tocar os R$ 5,97, levando o Banco Central a intervir no mercado, com oferta de leilões de swap cambial.

Exterior

Lá fora, os índices americanos encerraram em alta, com ganhos dos bancos e recuperação do petróleo.

O Dow Jones subiu pela primeira vez em 4 dias.

Mais cedo, os mercados registraram perdas com às expectativas de uma lenta recuperação econômica e temores de novo crescimento das contaminações pelo Covid-19 nos países que tentam sair da quarentena.

Adicionalmente, uma nova rodada de divulgação de números do auxílio-desemprego dos EUA mostrou o registro de mais 2,98 milhões de novos pedidos na semana passada, acima dos 2,5 milhões esperados.

Até agora, desde o começo da crise, são 36 milhões de postos de trabalho perdidos no país.

Ações Bolsa

Das 75 ações que compõem o Ibovespa, 53 fecharam com alta e 22 em baixa.

No Brasil, os setores financeiros, de utilidades públicas, energia elétrica e imobiliário puxaram os ganhos.

Além disso, diversas companhias da bolsa divulgaram balanços no primeiro trimestre do ano:

  • Azul (AZUL4) reportou prejuízo de R$ 975 milhões, ante lucro R$ 113 milhões no primeiro trimestre de 2019.
  • Movida (MOVI3) também reverteu lucro e teve prejuízo de R$ 114,4 milhões.
  • Já a Via Varejo (VVAR3) reverteu prejuízo e teve lucro de R$ 13 milhões.
  • Enauta (ENAT3) teve avanço de 50% no lucro, que somou R$ 76,8 milhões.
  • Ultrapar (UGPA3) registrou lucro de R$ 169 milhões, queda de 30%.
  • O lucro da Sulamerica (SULA11) caiu 64,3%, para R$ 79,7 milhões.

Maiores Altas

  • CSN (CSNA3): 11,57%
  • Ultrapar (UGPA3): +11,28%
  • Eletrobras (ELET3): +9,81%
  • Cemig (CMIG4): +8,46%
  • Cyrela (CYRE3): +8,26

Maiores quedas

  • Sulamerica (SULA11): -6,91%
  • GPA (PCAR3): -6,26%
  • Suzano (SUZB3): -6,03%
  • Azul (AZUL4): -5,61%
  • IRB (IRBR3): -4,99%

Bolsa hoje

bolsa-hj

Fonte: TradingView

Mercados Internacionais

Nova York

  • S&P: +1,18%
  • Nasdaq: +0,91%
  • Dow Jones: +1,62%
  • VIX: -8,16%

Europa

  • DAX, Alemanha: -1,99%
  • FTSE, Reino Unido: -2,75%
  • CAC, França: -1,65%
  • FTSE MIB, Itália: -1,83%
  • Stoxx 50: -1,85%

Ásia

  • Nikkei, Japão: -1,74%
  • Xangai, China: -0,56%
  • HSI, Hong Kong: -1,45%
  • ASX 200: -1,72%
  • Kospi, Coreia: -0,80%

Petróleo

  • Brent (julho 2020): US$ 31,13 (+6,65%)
  • WTI (junho 2020): US$ 27,88 (+8,57%)
  • Ouro: US$ 1.740 (+1,42%)

(Com Rodrigo Petry e Wisir Research)