Bolsa fecha com queda de 0,13% e dólar avança a R$ 5,90

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

A bolsa brasileira fechou o pregão desta quarta-feira (13) com retração de 0,13%, aos 77.772 pontos – mas com perdas inferiores às registradas em Nova York.

Nos Estados Unidos, os mercados fecharam com fortes perdas, após o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, dizer que a recuperação econômica será lenta.

Adicionalmente, há a retomada de casos de contaminação pelo novo coronavírus em países que começaram a tentar sair da quarentena, colocando em dúvida se a reabertura da economia é segura.

Já o dólar fechou com alta de 0,55%, cotado a R$ 5,8998, na compra, e a R$ 5,9008, na venda.

O que você verá neste artigo:

Bolsa

Ao longo do dia, o Ibovespa operou boa parte do dia no terreno positivo, descolado dos mercados internacionais, mas fechou marginalmente.

O volume financeiro negociado no Ibovespa foi de R$ 25,11 bilhões.

Na mínima, o índice atingiu 77.151 pontos (-0,92%), e na máxima 78.911 pontos (+1,33%).

Brasil

O Ministério da Economia divulgou nova previsão para o PIB, prevendo uma retração de 4,7% em 2020, antes uma estimativa anterior de crescimento zero. Se confirmada, será a maior recessão da história do país.

O IBGE divulgou a Pesquisa Mensal do Comércio relativa a março, que indicou uma queda de vendas de 2,5% sobre fevereiro.

O resultado só não foi pior porque os supermercados registraram aumento de faturamento, de 14,6%.

Política

No campo político, o presidente Jair Bolsonaro negou em entrevista coletiva nessa manhã que tenha falado sobre a Polícia Federal na reunião ministerial de abril cuja gravação foi exibida ontem.

De acordo com informações de quem assistiu ao filme, ele teria dito que precisava trocar o comando da PF no Rio para proteger sua família. “Vão cair do cavalo”, afirmou.

Há expectativas hoje também para a sanção do presidente ao projeto de ajuda emergencial aos estados com ou sem o veto ao ponto que estendeu a diversas categorias de servidores a possibilidade de ficar de fora do congelamento de salários.

Ações

Das ações 75 ações que compõem o Ibovespa, 44 fecharam em baixa, 30 em alta e uma estável.

Entre as maiores perdas, ficaram os índices setoriais de energia elétrica e utilidades.

Maiores altas

  • BRF (BRFS3): +12,70%
  • Klabin (KLBN11): +7,64%
  • Via Varejo (VVAR3): 6,90%
  • JBS (JBSS3): +6,36%
  • Braskem (BRKM5): +5,86%

Maiores quedas

  • Embraer (EMBR3): -8,70%
  • IRB (IRBR3): -7,84%
  • Cielo (CIEL3): -5,93%
  • Qualicorp (QUAL3): -5,52%
  • Usiminas (USIM5): -5,23%

Nova York

  • S&P: -1,77%
  • Nasdaq: -1,55%
  • Dow Jones: -2,17%
  • VIX: +5,34%

Europa

  • DAX, Alemanha: -2,56%
  • FTSE, Reino Unido: -1,51%
  • CAC, França: -2,85%
  • FTSE MIB, Itália: -2,14%
  • Stoxx 50: -2,55%

Ásia

  • Nikkei, Japão: -0,49%
  • Xangai, China: +0,22%
  • HSI, Hong Kong: -0,27%
  • ASX 200: +0,35%
  • Kospi, Coreia: +0,95%

Commodities

  • Brent (julho 2020): US$ 29,19 (-2,63%)
  • WTI (junho 2020): US$ 25,29 (-1,90%)
  • Ouro: US$ 1.716,40 (+0,57%)

(Rodrigo Petry e Wisir Reserarch)