Ibovespa fecha com queda de 2,02% aos 78.876 pontos

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Ibovespa permaneceu no terreno negativo durante o dia e encerrou o pregão desta segunda-feira (4) com queda 2,02%, refletindo as instabilidades políticas internas.

Dessa forma, o principal índice da bolsa brasileira fechou aos 78.876 pontos.

Já o volume financeiro foi de R$ 19,27 bilhões.

Na mínima, o índice atingiu 77.640 pontos (-3,56%) e, na máxima, 80.501 pontos (-0,00%).

Das 75 ações que compõem o índice, 60 fecharam com baixa e 15 em alta.

Enquanto isso, o dólar fechou com alta de 1,51%, cotado a R$ 5,52, após o Banco Central anunciar a venda de US$ 889 milhões em operações compromissadas.

Assim, o dólar recuou às mínimas do dia, após superar os R$ 5,61, diante das preocupações políticas.

Pesquisa realizada pela XP/Ipespe informou que a avaliação positiva do governo caiu 4 pontos percentuais, de 31% para 27%, enquanto a avaliação negativa saltou 7 pontos percentuais e foi de 42% para 49%

Exterior

O Índice brasileiro ajustou as posições após o feriado de sexta-feira, pesando as tensões entre EUA e China.

Lá fora, o presidente Donald Trump afirmou que pode não adotar o corte de tarifas a produtos chineses da primeira fase do acordo comercial fechado entre os dois países em janeiro.

Pelo acordo, a China se comprometia a comprar mais produtos dos EUA e, em contrapartida, os EUA reduziriam impostos sobre importações chinesas.

Além disso, Trump voltou a acusar o país asiático de ter causado a propagação do coronavírus por um “erro”, sem especificar qual seria a falha.

O assessor de comércio da Casa Branca, Peter Navarro, reforçou o discurso, questionando a forma como a China lidou com a doença.

Na Europa, os PMI industrial da zona do euro registrou o pior desempenho de 23 anos. O indicador caiu de 44,5 pontos em março para 33,4 em abril. Todos os países estão abaixo dos 50 pontos, o que indica retração econômica.

Brasil

O PMI Industrial do Brasil também está no mesmo patamar. Após marcar 48,4 pontos em março, fechou abril em 36 pontos, o pior já registrado desde 2009, pós-crise de 2008.

O Boletim Focus do Banco Central mostrou uma alteração nas estimativas de todos os indicadores em relação à semana passada. A previsão para o PIB caiu de -3,34% para -3,76%; o IPCA passou de 2,20% para 1,97%; a Selic foi de 3% para 2,75% e o dólar de R$ 4,80 para R$ 5,00.

Hoje ainda a Câmara deve votar o pacote de R$ 125 milhões de ajuda aos estados e municípios, aprovado no sábado pelo Senado, destinado ao combate ao Covid-19.

Ações

Quatro empresas divulgaram balanços referentes ao primeiro trimestre de 2020 nessa manhã:

  • Gol (GOLL4): prejuízo de R$ 2,2 bilhões, contra lucro de R$ 35,2 milhões
  • Klabin (KLBN11): prejuízo de R$ 3,143 bilhões, alta de 1.502%
  • Porto Seguro (PSSA3): lucro de R$ 228,4 milhões, queda de 24%
  • BB Seguridade (BBSE3): lucro de R$ 882,7 milhões, queda de 12,9%

Mais negociadas

  • Via Varejo (VVAR3): +3,59%
  • Cogna (COGN3): -5,42%
  • Petrobras PN (PETR4): -3,60%

Maiores altas

  • Telefonica (VIVT4): +5,87%
  • Tim (TIMP3): +5,41%
  • Ambev (ABEV3): +3,70%

Maiores quedas:

  • Azul (AZUL4): -12,87%
  • Embraer (EMBR3): -10,75%
  • Gol (GOLL4): -10,08%

Nova York 

  • Dow Jones: +0,11%
  • Nasdaq: +1,23%
  • S&P: +0,48%

Europa

  • DAX, Alemanha: -3,64%
  • FTSE, Inglaterra: -0,16%
  • CAC, França: -4,24%
  • FTSE MIB, Itália: -3,70%
  • Stoxx 50: -3,81%

Petróleo

  • Brent (julho 2020): US$ 27,20 (+2,87%)
  • WTI: (junho 2020): US$ 20,39 (+3,08%)

Ásia

Japão e China não tiveram pregão nesta segunda, por conta de um feriado.

  • Kospi, Coreia: -2,68%
  • Hang Seng, Hong Kong: -4,18%
  • ASX 200, Austrália: +1,41%