Ibovespa fecha com alta 1,60% em linha com exterior; dólar vai a R$ 4,58

Rodrigo Petry
Editor-chefe, com 20 anos de atuação em veículos, como Agência Estado Broadcast, InfoMoney, Capital Aberto e DCI; e na área de comunicação corporativa, consultoria e setor público; e-mail: rodrigo.petry@euqueroinvestir.com.
1

Crédito: Divulgação/B3

O Ibovespa fechou o pregão desta quarta-feira (4) com alta de 1,60%, aos 107.224 pontos, acompanhando o movimento de recuperação dos mercados no exterior.

Em Nova York, o S&P fechou com alta de 4,22%, o Nasdaq valorizou-se 3,85% e o Dow Jones avançou 4,53%.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Nos EUA, as vitórias do ex-vice-presidente Joe Biden durante a Super Terça-Feira gerou um movimento de euforia nos mercados.

Biden vendeu em estados como Carolina do Norte, Texas e Arkansas, impulsionando sua campanha e elevando as suas chances de indicação pelo Partido Democrata para a disputa presidencial americana.

Nesta sessão, das 73 ações que compõem o Ibovespa, 60 fecharam em alta, 12 em baixa e uma estável.

Já o dólar segue o seu movimento de alta, com valorização de 1,55%, cotado a R$ 4,58.

Ações

O destaque ficou por conta do IRB (IRBR3), que desabou 31,96%, após a Berkshire Hathaway, do bilionário Warren Buffett, desmentir ter comprado papeis da resseguradora.

Em nota, a gestora esclareceu que não houve nenhuma compra de participação da empresa brasileira IRB Brasil. “não tenho, nunca tive, e não penso em ter”.

Entre as altas, destaque para Suzano (SUZB3), com valorização de 9%; seguida por Usiminas (USIM5), +7%; Klabin, +6%. Os papeis destas empresas, grandes exportadoras, foram impulsionados pela melhora do setor externo.

PIB

Hoje pela manhã o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019, quando a soma das riqueza do país cresceu 1,1% em relação a 2018.

O resultado ficou dentro das projeções do mercado, mas foi inferior ao dos dois últimos anos, 2017 e 2018, quando o PIB avançou 1,3%. Em valores correntes, o PIB atingiu R$ 7,3 trilhões.

Entretanto, o resultado divulgado hoje, mesmo dentro das expectativas, acende o sinal de alerta em relação às expectativas para 2020.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3