Ibovespa recua 3,76% e encerra semana com perdas de 5,3%

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: benzinga.com

O Ibovespa encerrou a sessão desta sexta-feira (03) com queda de 3,76%, encerrando o pregão aos 69.537 pontos.

No acumulado da semana, a bolsa perdeu 5,30%, enquanto no ano a desvalorização soma 39,87%.

Já o dólar terminou a sexta-feira com alta de 1,15%, cotado a R$ 5,3265 na compra e R$ 5,3270 na venda.

No exterior, as bolsas em Nova York fecharam em queda, diante das preocupações em relação aos impactos do novo coronavírus na economia.

Brasil

No Brasil, a expectativa é pela aprovação do Proposta de Emenda à Constituição (PEC) chamada de “Orçamento de Guerra”, que deve passar ainda nesta sexta-feira em dois turno.

Ainda na política, uma pesquisa da XP/Ipespe apontou uma piora na avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o levantamento, o porcentual dos que acham o governo ruim ou péssimo passou de 36% para 42% enquanto os que acham bom ou ótimo caiu de 30% para 28%.

Ainda no mercado local, o IHS Markit divulgou o Índice de Gerentes de Compras (PMI) Composto de março do Brasil, que, como previsto, também revela os efeitos da crise.

O indicador caiu de 50,9 pontos em fevereiro para 37,6 pontos em março, o menor índice desde o início da pesquisa.

EUA

Os mercados reagem hoje também aos  dados do mercado de trabalho dos EUA, o payroll, um dos principais indicadores do mercado financeiro.

O relatório mostrou que o país fechou 701 mil vagas de emprego em março, mais que o dobro da previsão, depois de 113 meses de crescimento. A taxa de desemprego passou de 3,5% em fevereiro para 4,4% em março, já retratando o tombo causado pelo coronavírus na economia norte-americana.

Serviços na Europa

Na Europa, os resultados de PMIs de serviços mostraram claramente o tamanho do desastre causado pela pandemia.

O indicador da Itállia foi de 52,1 pontos em fevereiro para 17,4. O PMI da zona do euro, saiu de 52,6 para 26,4 pontos; da Alemanha, de 52,5 para 31,7 pontos; e Reino Unido, de 53,2 para 34,5 pontos.

O contraponto pode vir do comportamento das cotações do petróleo, que desde ontem estão em recuperação na expectativa de acordo entre a Rússia e a Arábia saudita, que pode colocar fim à guerra de preços.

Ontem, o presidente dos EUA Donald Trump voltou a afirmar que sauditas e russos estão em negociação e devem se reunir hoje.

Ações

Das 73 ações que compõem o índice Ibovespa, 67 fecharam em baixa e seis em alta.

Fechamento desta sexta-feira

Mais negociadas

  • Petrobras (PETR4): -2,26%
  • Itaú Unibanco (ITUB4): -5,12%
  • Vale (VALE3): -6,92%

Maiores quedas

  • NotreDame (GNDI3): -12,03%
  • Usiminas (USIM5): -11,88%
  • Localiza (RENT3): -10,83%

Maiores altas

  • Cyrela (CYRE3): +2,57%
  • Yduqs (TDUQ3): +1,99%
  • Cogna (COGN3): +1,64%

Nova York

  • S&P 500: -1,51%
  • Dow Jones: -1,69%
  • Nasdaq: -1,53%

Petróleo

  • WTI, +13,63%, US$ 28,75
  • Brent, +16,50%, US$ 34,87

Europa

  • Dax, Alemanha, -0,47%
  • FTSE, Inglaterra, -1,18%
  • CAC, França, -1,57%
  • FTSE MIB, Itália, -2,67%
  • STOXX600, -0,97%

Ásia

  • Nikkei, Japão, +0,01%
  • Shanghai, China, -0,60%
  • HSI, Hong Kong, -0,19%
  • ASX, Austrália, 1,68%
  • Kospi, Coreia, +0,03%