Ibovespa futuro abre em alta, em linha com Nova York

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Facebook B3

O Ibovespa futuro abriu a segunda-feira (14) em alta de 1,08%, aos 99.225 pontos, acompanhando os mercados futuros de Nova York.

Na sexta (11), a bolsa de valores brasileira fechou a semana com queda de 2,84%, a segunda seguida em terreno negativo.

Destaque no Brasil para o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que subiu 2,15% em julho, ante 4,89% de junho. O resultado veio pior do que a projeção, que era de avanço de 3,4%.  O IBC-Br é considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB).

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Ainda em indicadores, o Boletim Focus apontou  uma leve melhora para o Produto Interno Bruto (PIB) e também avanço da inflação.  A estimativa para o PIB foi de queda de 5,31% para queda de 5,11%. Já a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 1,78% para 1,94%. Já é o quinto aumento consecutivo.

Confira os destaques das empresas no Radar corporativo.

Veja também as notícias dos jornais de hoje.

Exterior

Os mercados futuros de Nova York estão em alta, repercutindo a retomada da fase 3 de testes da vacina contra o coronavírus da AstraZeneca/Universidade de Oxford, depois de uma pausa por questões de segurança.

Possíveis efeitos adversos foram notados em um paciente do Reino Unido, mas ficou comprovado que não tinham relação com a vacina.

Nos EUA, também repercute a compra da empresa britânica Arm Holdings pela norte-americana de chips Nvidia. Quem vende é o SoftBank, do Japão, que deve ficar com parte dos pagamentos em dinheiro e parte em ações da Nvidia. Operação vai criar gigante dos semicondutores, mas ainda precisa de aprovação regulatória.

Reuniões dos bancos centrais no radar

Os principais destaques da semana acontecem na quarta-feira (16), quando tem reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil e do Federal Open Market Committee (Fomc), do Federal Reserve norte-americano.

Confira aqui a agenda completa da semana.

Veja as cotações às 9h:

Bolsa Nova York

  • S&P: +1,21%
  • Nasdaq: +1,39%
  • Dow Jones: +0,93%

Bolsa Europa

  • DAX, Alemanha: -0,06%
  • FTSE, Reino Unido: -0,05%
  • CAC, França: +0,24%
  • FTSE MIB, Itália: -0,13%
  • Stoxx 600: +0,08%

Bolsa Ásia

  • Nikkei, Japão: +0,65%
  • Xangai, China: +0,57%
  • HSI, Hong Kong: +0,56%
  • ASX 200, Austrália: +0,68%
  • Kospi, Coreia: +1,30%

Petróleo

  • WTI (outubro 2020): US$ 37,20 (-0,38%)
  • Brent (novembro 2020): US$ 39,73 (-0,28%)

Ouro

  • Ouro futuro (dezembro 2020): US$ 1.956 a onça-troy (0,45%)

Minério de ferro

  • Bolsa de Dalian, China: US$ 124,36 (+2,41%)