Índice Anual de Empregos atinge nível mais alto dos últimos sete meses, segundo FGV

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Agência Brasil

O Índice Anual de Empregos (IAEmp) atingiu neste último mês de novembro os números mais altos dos últimos sete meses, confirmando que o mercado de trabalho vem se recuperando gradativamente.

As informações divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas e reproduzidas pela agência de notícias Reuters mostram que o mercado de trabalho no Brasil teve alta de 2,6% em relação a outubro, batendo 88,4 pontos e registrando o maior índice desde abril, quando alcançou 92,5 pontos.

Estabilidade

“A virtual estabilidade do indicador em médias móveis trimestrais, pelo segundo mês consecutivo, reforça o cenário de dificuldades de avanços mais expressivos do mercado de trabalho, sugerindo continuidade da recuperação em ritmo gradual”, disse em nota o economista Rodolpho Tobler.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), usado para captar a percepção das famílias sobre o mercado de trabalho, apresentou alta de 3,1 pontos em novembro, subindo para 96,1 pontos.

Patamar elevado

“Depois de cinco meses, o ICD voltou a ficar acima dos 95 pontos. O patamar elevado do indicador e a piora observada em novembro sugerem que ainda há um longo caminho para reduções em ritmo mais forte da taxa de desemprego”, comentou Tobler.

A quantidade de pessoas que adotaram o trabalho informal – por conta própria e sem carteira assinada – também aumentou e renovou o recorde histórico no País segundo o IBGE, ajudando a baixar a taxa de desemprego para o menor nível do ano no trimestre encerrado em outubro, de 11,6%.