Hypera (HYPE3) lucra 25,8% a menos no balanço, mas vendas sobem

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A Hypera (HYPE3) anunciou nesta sexta-feira (24) seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2020. O lucro líquido foi de R$ 238,2 milhões, queda de 25,8% em comparação com mesmo período de 2019.

De acordo com a empresa, o resultado  foi beneficiado pela redução da taxa efetiva de imposto de renda por conta da declaração de Juros Sobre Capital Próprio no trimestre.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) das operações continuadas somou R$ 248,7 milhões, uma redução de 38%. A margem Ebtida atingiu 30,5%.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 12,7 milhões, revertendo a perda de R$ 1,8 milhão no primeiro trimestre de 2019.

A Hypera atribuiu a variação a atualização monetária de créditos fiscais e do ganho com operações de derivativos para redução da exposição cambial da companhia relacionado ao pagamento pela aquisição dos ativos da Takeda.

As vendas aos consumidores (sell-out) aumentaram em 11,1%, alcançando crescimento de dois dígitos pelo quarto trimestre consecutivo.

Operacional

A receita líquida da Hypera atingiu a cifra de R$ 815 milhões, o que representa um aumento de 112,5%.

Segundo a companhia, a elevação da receita foi consequência principalmente da redução nas vendas de Produtos de Prescrição e Consumer Health no primeiro trimestre de 2019 com o objetivo de diminuir o nível de estoque desses produtos nos clientes da companhia naquele período.

Principais números do balanço:

hypera-balancos-min

 

A Hypera ainda informou que a receita do primeiro trimestre não capturou o crescimento do sell-out no último mês do trimestre resultante da corrida dos consumidores às farmácias para compra de medicamentos isentos de prescrição após o início das regras de restrição para circulação da população por conta da pandemia de Covid-19, o que tende a acontecer somente no segundo trimestre de 2020.

O lucro bruto totalizou R$ 543,1 milhões, um crescimento de 1,92 vez em relação ao primeiro trimestre de 2019.

Já a margem bruta alcançou 66,6% no trimestre, alta de 18,1 pontos percentuais.

A companhia explicou que o crescimento da margem bruta se deu principalmente pelo efeito mix de produtos, consequência das menores vendas de produtos de
prescrição e consumer health no primeiro trimestre de 2019, que possuem maior margem bruta.

As Despesas Gerais e Administrativas totalizaram R$49,8 milhões, queda de 4,2%. A redução é consequência principalmente das iniciativas recentes da companhia para aumento da eficiência administrativa em suas operações.

Pesquisa e Desenvolvimento

A Hypera investiu R$ 58,5 milhões em Pesquisa e Desenvolvimento, incluindo o montante capitalizado como ativo intangível, no primeiro trimestre de 2020.

A Companhia ainda celebrou acordo para aquisição do portfólio de produtos dermatológicos da Glenmark no Brasil, adicionando as marcas Adacne, Adacne Clin, Celamina, Demelan, Deriva Micro, Deriva-C Micro, Dermotil Fusid, Halobex e Tacroz ao portfólio da Mantecorp Skincare.

Caixa Líquido

A Hypera encerrou o primeiro trimestre com um caixa líquido de R$ 240,8 milhões.

A companhia reforçou sua posição de caixa em caráter preventivo diante das incertezas e volatilidade do cenário econômico atual por conta da pandemia de coronavírus, com a contratação de empréstimos no valor de R$ 595 milhões, com vencimento em 2021.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Desempenho ações HYPE3

hypera-acoes-min

Fonte: TradingView