Hypera (HYPE3) registra alta de 17,6% no lucro do 2TRI20

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.

Crédito: Divulgação

A Hypera (HYPE3) divulgou seus resultados do segundo trimestre nesta sexta-feira (25).

O lucro líquido totalizou R$ 396,4 milhões, desempenho 17,6% superior ao registrado no mesmo período de 2019.

De acordo com a empresa, o resultado foi beneficiado principalmente pelo crescimento do EBIT das Operações Continuadas.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 15,7 milhões, contra um saldo positivo de R$ 3,7 milhões.

Essa variação é resultado principalmente do aumento das despesas com juros do endividamento bruto da companhia, decorrente das emissões de debêntures para o pagamento pelo portfólio de medicamentos a ser adquirido da Takeda e da família Buscopan.

Influenciou também a contratação de empréstimos para reforçar a posição de caixa da companhia em caráter preventivo em virtude da pandemia de Covid-19.

As despesas com vendas, gerais e administrativas somaram R$ 154,2 milhões, baixa de 1,9%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) das operações continuadas somou R$ 449,2 milhões, alta de 58,9%.

Já a margem Ebtida atingiu 58,9%, um aumento de 29,8 pontos percentuais.

Conforme a Hypera, resultado foi influenciado principalmente da redução das despesas de Marketing.

Hypera

Receita líquida da Hypera cresceu 7,9%, totalizando R$ 1,050 bilhão

Receita sobe 7,9%

A receita líquida da Hypera cresceu 7,9%, totalizando R$ 1,050 bilhão.

De acordo com a empresa, esse crescimento foi impulsionado pelo forte aumento do sell-out em Consumer Health no final do mês de março.

Isso acabou não impactando a receita líquida no primeiro trimestre, consequência da corrida dos consumidores às farmácias para compra de medicamentos isentos de prescrição após o início das regras de restrição por causa da pandemia de Covid-19.

O crescimento do sell-out em Similares e Genéricos também contribuiu para o resultado da receita.

A margem bruta ficou em 65,7%, baixa de 2,6 pontos percentuais

O lucro bruto atingiu a cifra de R$ 690,3 milhões, uma elevação de 3,8%.

A margem bruta ficou em 65,7%, baixa de 2,6 pontos percentuais.

Conforme a Hypera, a redução é consequência principalmente da desvalorização do real frente ao dólar no período.

Caixa e investimentos da Hypera

A posição de caixa líquido foi de R$ 369,8 milhões no segundo trimestre de 2020, ante R$240,8 milhões registrados no primeiro trimestre, e foi beneficiada principalmente pelo Fluxo de Caixa Livre do período.

Nesse trimestre, a Hypera concluiu parte da emissão das debêntures de longo prazo aprovadas no primeiro trimestre para o pagamento da aquisição da Takeda, que contribuiu em R$ 2,485 bilhões para o aumento de sua posição de caixa e endividamento bruto.

Os investimentos totais em Pesquisa e Desenvolvimento atingiram 7,1% da Receita Líquida e totalizaram R$ 74,7 milhões no período.

Guidance

A Hypera projeta a receita líquida ao redor de R$ 4,0 bilhões em 2020.

Já o lucro líquido das operações continuadas deve atingir R$ 1,3 bilhão.

Conforme a Hypera, as alterações do guidance foram motivadas pelo impacto da pandemia na geração de demanda em determinadas categorias do varejo farmacêutico brasileiro, no aumento do câmbio e na redução de despesas operacionais.

Além disso, a inclusão nas projeções financeiras, dos resultados esperados em consequência do fechamento da aquisição do Buscopan.

Tá, e aí?

Em relatório a clientes, o BB Investimentos avaliou os resultados do trimestre de forma positiva.

Segundo a analista Georgia Jorge, apesar da companhia não ter passado incólume ao Covid-19, assim como os efeitos ainda devem se refletir no próximo trimestre, “a disciplina na gestão de custos e despesas proporcionou expansão da margem Ebitda ajustada, a despeito da queda na margem bruta”.

Assim, o BB enxerga a Hypera Pharma como uma das companhias mais bem posicionadas do setor para atravessar a turbulência ora vivenciada, haja vista a resiliência do varejo farmacêutico nesta e em crises anteriores.

Cara ou barata?

Dessa forma, o BB manteve a recomendação de Compra para HYPE3, com preço-alvo estimado para 2020 em R$ 41,00.

Após a divulgação dos resultados, no pregão desta segunda-feira (27), as ações de HYPE3 valorizavam-se 6,39%, às 12h00, a R$ 36,43.