HCTR11: conheça o fundo de CRIs de imóveis compartilhados

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Laguetto Golden (Facebook)

O fundo imobiliário Hectare CE (HCTR11) investe prioritariamente em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs) de multipropriedades e loteamentos em todo o Brasil.

O HCTR11 realizou a sua primeira captação em julho de 2019 e, acabou de encerrar sua 6° oferta pública. Com patrimônio atual de R$ 325 milhões e 21 mil cotistas, acabou de ir a mercado para captar até R$ 125 milhões. Dessa vez, a oferta foi restrita (CVM 476) e o prazo limite para o direito de preferência terminou em 30 de setembro.

Veja, a seguir, as características e desempenho desse fundo imobiliário (FII) de papéis high yield:

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Ativos do HCTR11

Segundo sua estratégia, o fundo busca a diversificação dos ativos quanto ao tipo, segmento e indexador. Nesse sentido, a gestão dá preferência a certificados de recebíveis imobiliários com garantias pulverizadas e indexados à inflação.

Como vimos, atualmente os ativos do HCTR11 estão, na sua maioria, alocados em CRIs dos segmentos de multipropriedades e loteamentos. Segundo relatório do fundo de julho, 90% de seu portfólio está distribuído entre 39 CRIs de empreendimentos em todo o Brasil.

Por outro lado, os restantes 10% em caixa servem para dar suporte a despesas que impactam a rentabilidade do fundo, como a taxa de performance, paga semestralmente.

As multipropriedades – também conhecidas como time sharing – permitem que os imóveis sejam compartilhados. Dessa forma, sua utilização é proporcional ao valor investido.

Desempenho do fundo

Conforme relatório de julho, o fundo teve uma rentabilidade média mensal de 1%. Isso correspondeu a um dividendo de R$1,17 por cota, pago em agosto.

Em relação aos pagamentos, a gestora informa que, atualmente, não há qualquer inadimplência entre os ativos da carteira. Além disso, a média de garantia dos CRIs é de 200%, o que gera certa segurança para o fundo.

Durante o mês de julho, ocorreu a integralização dos recursos referentes à quinta emissão do fundo. Nesse sentido, os recursos captados foram utilizados para aquisição de novos CRIs, que totalizaram R$ 48,3 milhões.

Rentabilidade mensal do fundo x CDI

Nos últimos 12 meses, o dividend yield do fundo foi de 12,5%, e o retorno total, de 30%. Em contrapartida, a evolução líquida do CDI foi de 3,6% e, a do IFIX, 3,1% no mesmo período.

 

Cerca de 45% dos CRIs do HCTR11 são atrelados ao IGPM, e outros 44%, ao IPCA.

Gestão e demais características

O fundo tem gestão da Hectare Capital e administração da Vórtx DTVM. É destinado a investidores em geral, e seu prazo de duração é indeterminado.

Em relação aos custos, possui taxa de gestão + administração de 1,2% ao ano sobre o patrimônio líquido. Além disso, há taxa de performance de 0,10% sobre o que exceder a variação de 100% do CDI.

Recomendações

Segundo a Eleven Financial Research, a estratégia da gestão do HCTR11 têm proporcionado boa distribuição de rendimentos aos cotistas. Por fim, a expectativa é de um dividend yield de 11% para os próximos 12 meses.

Você sabe o que são os fundos de papéis? Assista a esse vídeo para conhecer melhor essa modalidade de Fundos Imobiliários