Hassan Rouhani diz que o Irã está disposto a trabalhar com a UE

Sabrina Oliveira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Hassan Rouhani Foto: Reprodução/Twitter

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, garantiu a Josep Borrell, Alto Representante da União Europeia para Assuntos Exteriores, na segunda-feira (3), que o país está pronto para cooperar com a o bloco continental em várias questões, incluindo acordos nucleares. As informações são do EFE.

“O Irã segue disposto a cooperar e colaborar com a União Europeia para solucionar os problemas, e no momento em que a outra parte cumpra, de modo completo, com suas obrigações, o Irã também regressará seus compromissos. Lamentavelmente, a retirada unilateral dos Estados Unidos desse acordo criou muitos obstáculos e problemas às outras partes, para a completa implementação”, disse o chefe de governo.

Rohani defendeu a redução gradual do cumprimento do acordo nuclear de 2015 e garantiu que a medida estava dentro da estrutura do acordo e procura preservá-lo. Enquanto ao acordo nuclear assinado em 2015 entre Irã, Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha foi enfraquecido desde que o governo dos EUA decidiu abandonar e impor sanções a Teerã em 2018, que o restante dos signatários não foi capazes de impedir.

Em resposta a essas sanções, as autoridades iranianas começaram a reduzir gradualmente seus compromissos em maio de 2019, até o mês passado, anunciando que não cumpririam nenhuma restrição, mas continuaram sendo inspecionadas pela Agência Internacional de Energia Atômica (OEIA).

Os três países europeus que assinaram o acordo – França, Reino Unido e Alemanha – enfrentaram o incumprimento iraniano e optaram por lançar um mecanismo de solução de controvérsias em 14 de janeiro, embora dez dias depois tenham decidido estender o prazo por mais de um mês para tentar encontrar uma solução . Se não houver saída, o caso poderá ser encaminhado ao Conselho de Segurança da ONU, que abre as portas para a reimposição de sanções internacionais a países asiáticos e a eventual morte do acordo.

A visita de Borrell a Teerã é a primeira vez que a Espanha lidera a diplomacia européia, o que coincide com o aumento da tensão entre os Estados Unidos e o Irã. Rohani disse que os americanos cometeram “muitos erros estratégicos” na região e, em países como Irã, Iraque, Síria e Afeganistão, a política está fadada ao fracasso.

A visita de Borel visa aliviar as tensões e os diplomatas também se encontrarão, em Teerã, com o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Yavad Zarif, e com o presidente do conselho local, Ali Lariyani.