Marco do saneamento divide equipes no governo; veja outras notícias

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Após aprovação do marco legal, as equipes dos ministérios da Economia, chefiado por Paulo Guedes, e do Desenvolvimento Regional, de Rogério Marinho, discutem o decreto que irá traçar as exigências de investimentos para empresas que já prestam serviços de saneamento e as que desejam operar nele, conforme informou o Estadão.

Essa discussão tem provocado um racha entre as equipes. Isso porque foram consideradas benevolentes demais às estatais que já atuam no setor por integrantes da área econômica e também pelo setor privado que deseja ingressar no setor.

Incerteza fiscal impede emissão de títulos mais longos, diz Funchal

O alongamento da dívida pública com custos mais baixos só vai acontecer se o País seguir o caminho da consolidação fiscal e avançar na agenda de reformas, disse o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, segundo matéria do Estadão.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Conforme Funchal, as dúvidas sobre o respeito do teto dos gastos atrapalha a emissão de títulos longos. A redução da incerteza, disse, só virá com uma agenda de reformas que melhore a previsibilidade do cenário.

Digitalização e queda de juros acirra disputa por baixa renda

O aplicativo Caixa Tem, criado para pagamento do auxílio emergencial, se tornou estratégico para Caixa atender um público que virou alvo do interesse crescente de bancos digitais e fintechs: a população de baixa renda, de acordo com o Valor.

A concorrência sempre foi mais acirrada na ponta de cima, classes A, B e, em menor escala, C. No entanto, a digitalização da economia (que reduz custos de atendimento), o pagamento do auxílio emergencial e a queda das taxas de juros têm aumentado o interesse na prestação de serviços para os mais pobres.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

Além disso, o Pix, que está prestes a entrar em cena, irá abrir novas possibilidades de prestação de serviços para consumidores até então pouco atrativos. Trata-se de um alinhamento inédito de fatores que permitem atender essa população de forma rentável.

Governo prevê a contratação de quase 51 mil servidores

A proposta de Orçamento 2021 enviada ao Congresso prevê a contratação de 50.946 servidores, em todos os Poderes. O desembolso para repor essas vagas foi estimado em R$ 2,4 bilhões, conforme informou o Estadão.

A partir de 2022, o custo anualizado para manter essas novas despesas sobe para R$ 4,5 bilhões.

Senado aprova com folga indicação de Kassio Nunes ao STF

O desembargador Kassio Nunes foi aprovado pelo plenário do Senado nesta quarta-feira (21) para ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), depois de aproximadamente 10 horas de sabatina, quando admitiu que determinados atos da Lava Jato podem ser passíveis de correção e defendeu a harmonia entre os Poderes.

Nunes teve 57 votos a favor, 10 votos contra e uma abstenção, e se tornará o primeiro ministro do STF indicado por Jair Bolsonaro.

Bolsonaro desautoriza Pazuello e cancela compra de vacina

O presidente Jair Bolsonaro desautorizou nas redes sociais o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, produzida numa parceria do laboratório chinês Sinovac e com o Instituto Butantã, nesta quarta-feira (21).

“Não será comprada”, escreveu Bolsonaro em letras maiúsculas em uma rede social ao responder a um internauta que alegara querer ter “um futuro, mas sem interferência da ditadura chinesa”.

Atualização Covid-19

O Brasil teve 566 óbitos confirmados por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de vítimas a 155.403. Os novos casos positivados foram 24.818, de um total de 5.298.772.