Guedes: governo planeja IPO de banco digital da Caixa após crise

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Entrevista coletiva do ministro da economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou nesta terça-feira (20) que o governo planeja a abertura de capital em bolsa do banco digital criado após a digitalização de milhões de contas em meio à concessão do auxílio emergencial.

As informações são da Agência Reuters.

A oferta pública inicial de ações (IPO) envolverá o Caixa Tem. O aplicativo foi feito para a movimentação de benefícios da Caixa Econômica Federal, criado na esteira da crise.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

A informação vem de uma fonte da Reuters com conhecimento direto do assunto. De acordo com a fonte, autoridades do governo já têm tratado da operação com o Banco Central.

Digitalização

“Nós digitalizamos 64 milhões de pessoas. O quanto vale um banco com 64 milhões de pessoas? Pessoas de baixa renda, mas pessoas que foram bancarizadas pela primeiríssima vez, então elas vão ser leais pelos restos de suas vidas”, disse Guedes na Milken Institute Global Conference.

“Estamos planejando um IPO desse banco digital que nós produzimos em menos de seis meses”, completou o ministro.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

Entretanto, não houve esclarecimento se ele se referia à Caixa ou apenas a uma unidade do banco estatal.

Conforme a Caixa, havia planos de expansão das operações do Caixa Tem para incluir novas funcionalidades, como a oferta de microcrédito, seguros e cartões. Estes foram divulgados no mês passado.

O auxílio emergencial tem sido pago exclusivamente pela Caixa desde abril. Com duração até dezembro, ele implicará um gasto total para a União de 321,8 bilhões de reais.

Por fim, com o uso do aplicativo Caixa Tem, os usuários podem movimentar valores e realizar compras em estabelecimentos comerciais por meio de um cartão de débito virtual e QR Code.

Também é possível pagar contas de água, luz, telefone, gás e boletos na plataforma.

Foco em atrair investidores

Além disso, Guedes defendeu que essa é uma boa hora para o investidor pensar no Brasil. Ressaltou que não haverá abandono ao teto de gastos.

Segundo o ministro, o governo segue engajado em sua agenda de modernização de marcos regulatórios e que irá criar um mecanismo de hedge cambial para investidores de longo prazo.

O ministro falou também sobre compromissos ambientais. De acordo com Guedes, o país está sendo mal interpretado quanto à sua política em relação ao meio ambiente e aos indígenas.

“Eu não acho que serei despedido nos próximos meses, como o antigo ministro da Fazenda. E eu acho que é hora de vir para o Brasil”, afirmou.

“É o lugar certo para bom dinheiro, dinheiro para horizonte de longo prazo, investimento privado”, completou.

Roadshows

O ministro acrescentou que este é o momento de o governo fazer ‘roadshows’ para atrair investidores estrangeiros.

O desafio, para ele, é transformar a onda de consumo desencadeada pelas medidas implementadas na crise numa onda de investimentos.

Por fim, Guedes disse que o Brasil deve entrar na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em um ano.

Acrescentou que o país está agora atingindo dois terços dos requerimentos necessários para tanto.

O ministro também repetiu que o Produto Interno Bruto (PIB) deve cair 4% este ano ou “4 e pouco no máximo”, ante previsão oficial do Ministério da Economia de retração de 4,7%.