Guedes diz que reforma tributária não elevará impostos; veja mais notícias

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a taxação de dividendos pagos pelas empresas, em audiência na Câmara dos Deputados. Ele diz ser correto elevar a taxação para 20%.

No entanto, o ministro disse que a reforma tributária não deverá elevar os impostos.

Em matéria do Estado de S.Paulo, empresários resistem à taxação. Cerca de 120 associações empresariais divulgam uma carta. Nela, eles alertam os riscos na economia e cobram alterações.

Governo pode rever tributos para MEI e Simples

Após a redução no Imposto de Renda para empresas, o governo pode mexer em outros tributos. De acordo com matéria do jornal O Globo, impostos para Microempreendedores Individuais (MEI) e o Simples podem ser revistos.

Segundo matéria da Folha de S.Paulo, a Receita Federal teria encontrado distorções nos dois impostos. Porém, medidas teriam sido vistas como impopulares.

Por causa disto, tendo em vista a proximidade de ano eleitoral, as medidas podem não ser tomadas agora.

Ex-diretor do Ministério da Saúde é preso por CPI

O ex-diretor do Ministério Roberto Dias, recebeu voz de prisão na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o combate à pandemia da covid-19.

Segundo matéria do jornal O Globo, Dias teria sido preso por mentir à CPI. Porém, ele foi solto após ter pago fiança.

Eleição não interferirá na recuperação econômica

O investidor Mark Mobius disse, em matéria do Valor Econômico, que o resultado das eleições pouco interferirão na retomada econômica do país. Ele afirmou que o maior risco seria uma “mudança dramática”, como a implementação de uma ditadura ou de um novo regime de governo.

Bolsonaro não quer retorno do horário de verão

O presidente Jair Bolsonaro é contra o retorno do horário de verão, mesmo com a crise hídrica que o país enfrenta. Porém, de acordo com matéria da Folha de S.Paulo, empresários do setor de turismo fazem pressão a favor do retorno da medida.

Bolsonaro alega que o horário de verão “mexe no relógio biológico”. Mas os empresários favoráveis à medida diz que ela é adotada desde 1930, sem prejuízos à saúde da população.