Guararapes (GUAR3) aprova migração para o Novo Mercado

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Guararapes/Divulgação

A Guararapes (GUAR3) comunicou nesta segunda-feira (26) que o Conselho de Administração aprovou a migração da companhia para o segmento de listagem Novo Mercado da B3, com a consequente admissão das ações para negociação.

Como etapa inicial do processo de migração e da implementação da nova estratura de governança corporativa, o Conselho autorizou o início das tratativas com a B3 para obter as autorizações necessárias à listagem das ações no Novo Mercado, inclusive através da submissão da proposta do novo estatuto social adaptado às regras do segmento.

Uma vez concluídas as interações com a B3, o Conselho da Guararapes deverá se reunir mais uma vez para convocar a Assembleia Geral Extraordinária e deliberar sobre a reforma do estatuto social.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões dos Investimentos.

Não perca!

Alliar (AALR3) renegocia dívidas de curto prazo

A Alliar (AALR3), informou nesta segunda que concluiu as negociações com alguns de seus principais credores bancários.

As tratativas eram para alongar o cronograma de vencimentos das dívidas da empresa, reduzindo a concentração de vencimentos de empréstimos e financiamentos nos próximos 12 meses.

Adiar o vencimento das dívidas de curto prazo ajuda a reforçar a solidez financeira do balanço da Alliar.

“Junto ao Banco Santander, renegociamos o montante total de R$ 120 milhões. Como resultado, o prazo final de liquidação será postergado para janeiro de 2024”, informou a empresa.

Com o Banco Votorantim, a renegociação foi de R$ 74 milhões, o prazo foi postergado para outubro de 2023.

Adicionalmente, com o Banco do Brasil, a Alliar captou R$ 30 milhões, com vencimento em novembro de 2021.

“Com isso, a rubrica “Empréstimos, financiamentos e debêntures” com vencimento nos próximos 12 meses reduz de 61% para 32%”, comunicou.

Randon (RAPT4): conselho aprova criação de subsidiária Randon Tech Solutions Industry

A Randon (RAPT4) aprovou a constituição de uma subsidiária denominada Randon Tech Solutions Industry.

O capital social inicial é de R$ 20,400 milhões.

A empresa terá localização em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

O objetivo é a fabricação e comercialização de células robotizadas, máquinas, dispositivos e ferramentais industriais.

Além disso, fará a prestação de serviços técnicos de engenharia e assessoria em automação industrial.

A Randon Tech também comercializará peças, componentes e demais insumos destinados à automação industrial.

“Com essa iniciativa, a companhia visa aprimorar ainda mais os métodos de automação nos processos de manufatura das Empresas Randon, promovendo economia e potencializando resultados”, diz comunicado da empresa.