Grupo Ultra (UGPA3): conheça um dos maiores grupos empresariais do Brasil

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

Dono de marcas como Ipiranga, Extrafarma e Ultragaz o Grupo Ultra (UGPA3) tem mais de 80 anos de história.

A empresa faz parte do Novo Mercado e do Ibovespa. Com sede em São Paulo (SP), alcança, por meio de seus negócios, cerca de 85% dos municípios, e está presente em quase todos os Estados do Brasil. Sua presença se estende também a sete países e conta atualmente com cerca de 16 mil colaboradores.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Vamos conhecer melhor a empresa?

História da companhia

Fundado em 1937, o Grupo Ultra (UGPA3) é hoje um dos principais grupos empresariais do país. A empresa mantém posições de liderança nos segmentos de negócios em que atua:

  • Atuação na cadeia de óleo e gás através da Ipiranga, no setor de combustíveis; da Ultragaz, no segmento de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP); e da Ultracargo, na armazenagem de granéis líquidos;
  • Indústria de especialidades químicas, por intermédio da Oxiteno;
  • Presença no varejo farmacêutico, com a Extrafarma.

A trajetória do Grupo Ultra é marcada pelo pioneirismo, combinando inovação com sustentabilidade.

A inovação é aplicada de maneira contínua no desenvolvimento de novos produtos e negócios, na adoção de novos procedimentos e tecnologias operacionais e, principalmente, na identificação de novos nichos de mercado.

O desenvolvimento de produtos à base de matérias-primas sustentáveis, como faz a Oxiteno, e a implementação de programas para gestão de emissão de gases de efeito estufa, como o Programa Carbono Zero da Ipiranga, são exemplos da visão de sustentabilidade.

Grupo Ultra (UGPA3) na bolsa brasileira

Entre as iniciativas pioneiras do Grupo Ultra estão a abertura de capital em 1999, simultaneamente na B3 e na New York Stock Exchange (NYSE).

A companhia foi a primeira empresa no país a oferecer a todos seus acionistas o direito a tag along a 100% do valor de ofertas pelo controle, em 2000.

Em 2011, a empresa ampliou o alinhamento de interesses dos acionistas com a conversão de ações preferenciais em ordinárias com direito a voto na proporção de 1 para 1.

O Grupo Ultra tem sido um dos líderes no desenvolvimento e na adoção das melhores práticas de governança corporativa no Brasil. A companhia utiliza o mercado de capitais não somente como fonte de recursos de investimentos, mas como indutor de desenvolvimento.

O Grupo Ultra integra hoje 11 índices da B3, sendo eles: Ibov (Bovespa), IBrA (Brasil Amplo), IBrX-100 (Brasil 100), IBrX (Brasil), ICO2 (Carbono Eficiente), IGCT (Governança Corporativa Trade), IGCX (Ações com Governança Corporativa), IGNM (Governança Corporativa – Novo Mercado), ITAG (Ações com Tag Along Diferenciado), IVBX-2 (Valor BM&F Bovespa) e MLCX (Mid-Large Cap).

As empresas do Grupo e suas estratégias

Ultrapar

A trajetória de mais de 80 anos do Grupo Ultra é marcada por um processo contínuo de expansão e alocação de capital eficiente, que tem como alicerces traços peculiares de cultura corporativa que explicam as posições de liderança nos mercados de atuação e a longevidade dos negócios.

Como parte do processo de planejamento estratégico, o Grupo Ultra avalia de forma sistemática oportunidades de crescimento e/ou diversificação do seu campo de atuação, sempre em linha com os princípios e direcionadores da empresa.

Perspectivas de crescimento:

  • Oportunidades nas verticais de energia e infraestrutura, com foco crescente em transição energética (gás natural/renováveis);
  • Crescimento no setor de varejo de conveniência;
  • Potencializar as iniciativas digitais (Abastece aí);
  • Foco no aumento de capacidade dos negócios e ganhos de eficiência e produtividade.

Ultragaz

A Ultragaz é a maior distribuidora de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) do Brasil e atua em dois segmentos comerciais: o granel, constituído por clientes comerciais, industriais e condomínios residenciais; e o envasado, formado pelos consumidores residenciais.

A Ultragaz foi pioneira no segmento granel, com negócios voltados a pequenas e médias empresas (PMEs) e ao agronegócio. Portanto, mais diretamente vinculados ao desempenho da economia.

No segmento envasado, os tradicionais botijões azuis são utilizados principalmente para a cocção, influenciado pelo crescimento populacional e, portanto, resiliente ao comportamento da economia.

A Ultragaz se apoia na transformação digital como ferramenta estratégica e acredita na criação de squads e conexão com startups e hubs de inovação para alavancar os resultados.

Além da conexão com o ecossistema, a Ultragaz emprega inovações para a aproximação com os consumidores finais, com uma nova forma de relacionamento comercial, por meio, por exemplo, de vendas via aplicativos e marketplaces.

Perspectivas de crescimento:

  • Foco em segmentos mais rentáveis e desenvolvimento de novas aplicações;
  • Aproximação do cliente final e fortalecimento da rede de revendas;
  • Desenvolvimento de pessoas e pipeline de liderança;
  • Protagonismo na inovação digital;
  • Expansões de infraestrutura nas regiões Norte e Nordeste.

Ultracargo

A Ultracargo tem posição de liderança em armazenagens de granéis líquidos e opera nos principais portos do Brasil, com terminais modernos e estrutura completa de armazenagem e movimentação de produtos químicos, combustíveis, biocombustíveis e óleos vegetais.

Tais características permitem o aproveitamento de oportunidades proporcionadas pelo crescimento econômico, pela falta de infraestrutura logística no Brasil e pela grande flexibilidade operacional.

A presença em vários portos importantes é resultado de uma estratégia robusta de aquisições e expansões. A Ultracargo está presente nos portos de Aratu, Santos, Suape, Itaqui, Rio de Janeiro, Paranaguá e, futuramente, Vila do Conde.

Perspectivas de crescimento:

  • Aumento da relevância em operações portuárias;
  • Ampliação da presença geográfica;
  • Exemplo em segurança e geração de impacto socioambiental positivo a partir das operações e práticas empresariais;
  • Construção de cultura de alto desempenho e desenvolvimento de pessoas;
  • Fortalecimento da gestão por resultados e máxima eficiência em processos;
  • Avanços em iniciativas de transformação digital para aumento da eficiência operacional.

Oxiteno

Pautada pela inovação e sustentabilidade, a Oxiteno é uma empresa química líder na produção de tensoativos e produtos químicos especializados.

Presente em oito países, sua estrutura conta com 11 unidades industriais localizadas no Brasil, Estados Unidos, México e Uruguai e escritórios comerciais na Argentina, Bélgica, China e Colômbia.

A Oxiteno se diferencia pela capacidade de resposta às demandas dos clientes, com os quais atua de forma próxima na co-criação de produtos, sempre tendo como norte a busca de soluções ecoeficientes e o atendimento às necessidades especificas de cada um deles.

Outra característica marcante da estratégia comercial da Oxiteno é a utilização de matérias-primas renováveis. Isso permite a diferenciação por meio do desenvolvimento de produtos aderentes às novas exigências ambientais.

Perspectivas de crescimento

  • Aumento da relevância das especialidades no mix de vendas;
  • Iniciativas para reforço e melhoria do posicionamento de mercado existente;
  • Desenvolvimento organizacional e de pessoas;
  • Transformação digital e inovação com soluções personalizadas para os clientes;
  • Investimentos em melhorias de processos com impactos positivos nas vertentes ambiental, de saúde e segurança.

Ipiranga

A Ipiranga é uma das maiores distribuidoras de combustíveis do Brasil e consolidou, nos últimos anos, a construção de um novo modelo de gestão por unidades de negócios, que tem como objetivo levar a melhor proposta possível aos consumidores, parceiros, revendedores e franqueados da marca.

As unidades de negócios operam em uma cadeia integrada, têm uma mesma governança e trabalham conforme a estratégia de cada marca.

São quatro unidades de negócios da Ipiranga:

Comercial e rede de postos: principal negócio da Ipiranga, tem como estratégia central o relacionamento com os revendedores, através do suporte às suas atividades e reconhecimento do valor que trazem para toda a cadeia. O objetivo é assegurar maior competitividade e solidez financeira, além de garantir mais e melhores produtos e serviços;

Mercado empresarial: unidade de negócios que atua no atendimento a grandes consumidores B2B, com oferta de produtos e serviços para diversos segmentos;

AmPm: as lojas de conveniência ganharam nova imagem, estão mais digitais aos consumidores, e passaram por uma revisão da experiência de consumo para uma jornada de compras mais intuitiva e inteligente nas lojas físicas, com um mix de produtos focado no food service. Como estratégia de complemento à rede, foram abertas lojas com operação própria;

Jet Oil: maior rede de unidades de trocas de óleo e serviços automotivos do Brasil, a Jet Oil redesenhou suas operações e formou equipes de atendimento no campo dedicadas ao negócio dos franqueados.

Perspectivas de crescimento:

  • Evolução da diferenciação e inovação através do posto completo;
  • Expansão e evolução em varejo de conveniência;
  • Garantir condições competitivas de suprimentos por meio do desenvolvimento de infraestrutura logística, de qualificação para importação e trading de combustíveis;
  • Aumento da eficiência operacional assegurando custos competitivos;
  • Evolução do modelo de organização para mais ágil e digital.

Extrafarma

A Extrafarma figura entre as sete maiores redes de varejo farmacêutico do Brasil, apresenta posição de liderança nas regiões Norte e Nordeste e atua em um segmento caracterizado por um elevado potencial de crescimento e formalização.

Os principais drivers de mercado que oferecem condições para uma trajetória de expansão da Extrafarma são o envelhecimento médio da população brasileira, o baixo consumo per capita de medicamentos e o maior acesso a produtos de higiene, beleza e medicamentos.

Perspectivas de crescimento

  • Atuação mais seletiva nas regiões de maior rentabilidade
  • Foco na melhoria da estrutura logística e sistemas de informação
  • Transformação digital (melhoria de sistemas de TI, gestão de lojas e desenvolvimento de soluções para alavancar as vendas digitais)

Resultado do 2TRI21

O Grupo Ultra (UGPA3) reportou lucro líquido ex-impairment de R$ 290 milhões no segundo trimestre de 2021 (2TRI21). O resultado inclui efeito de uma baixa contábil realizada na rede de farmácias Extrafarma, que foi vendida para a Pague Menos. Sem este efeito, a empresa teria registrado prejuízo de R$ 18 milhões no lucro líquido ajustado.

O lucro de R$ 290 milhões, segundo a empresa, foi fruto do maior EBITDA e da melhora no resultado financeiro.

A Ultrapar (UGPA3) registrou queda de 18% no Ebitda ajustado no 2TRI21. O indicador caiu de R$ 611 milhões para R$ 503 milhões.

A receita líquida teve alta de 80%. Assim, passou de R$ 15,8 milhões para R$ 28,5 milhões no 2TRI21, em função do maior faturamento em todos os negócios, principalmente na Ipiranga.

Composição acionária

Mais de um quarto (25,07%) das ações do Grupo Ultra (UGPA3) são da Ultra Participações S.A.

Outros 7,68% estão com a Parth do Brasil Participações, e 5,01% estão com a Blackrock.

O capital social da empresa é composto por 1.115.107.683 ações, das quais 1.084.337.016 estão em circulação no mercado. Investidores pessoa física são 33.534, enquanto os pessoas jurídicas são 805 e os institucionais são 1.483.

Desempenho da ação do Grupo Ultra (UGPA3)

Desde o início de 2021, as ações do Grupo Ultra (UGPA3) caíram 36,07%. Assim, saíram de R$ 24,12 no primeiro pregão do ano para R$ 15,42.

Grupo Ultra (UGPA3)

Por outro lado, na máxima histórica, ou seja, desde agosto de 2011, os papéis subiram 54,05%. A cotação saiu de R$ 10,01 para os atuais R$ 15,42.

Grupo Ultra (UGPA3)