Grupo Mateus pode fazer um dos maiores IPOs do ano

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A rede de supermercados e lojas de atacado do Norte e Nordeste Grupo Mateus deve fazer um dos maiores IPOs (Oferta Inicial de Ações) do ano. A expectativa é captar R$ 4,5 bilhões com a estreia na bolsa.

Na fila de empresas que pretendem fazer IPO ainda este ano, a rede varejista se destaca por ser uma das poucas fora do tradicional eixo Sudeste-Sul.  O negócio teve origem no Maranhão, há 34 anos, e hoje está espalhado por 54 cidades. O objetivo com a abertura de capital é ampliar ainda mais a atuação.

O fundador é o ex-garimpeiro e vendedor de cachaça Ilson Mateus, empresário de origem humilde que cresceu no mundo atacadista e varejista.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

  • Para saber mais sobre a avalanche de IPOs na bolsa brasileira, clique aqui e leia uma reportagem especial. 

História do Grupo Mateus 

Foi no interior do Maranhão, na cidade de Balsas, que surgiu em 1986 a primeira empresa que daria origem ao Grupo Mateus. Com o crescimento da lavoura mecanizada, aumentou a necessidade da população por bens de consumo que o mercado local ainda não oferecia.

Em meio à crise do plano cruzado na década de 1980, Ilson Mateus decidiu, mesmo sem experiência, montar uma pequena mercearia. Ele mesmo fazia a compra dos produtos na cidade de Imperatriz, distante a 400 quilômetros, para comercializá-los em Balsas.

Em dois anos, o pequeno negócio tornou-se um supermercado. E, ano após ano, a empresa expandiu e se profissionalizou. Ilson entrou no mercado atacadista e firmou-se como uma das maiores redes do segmento no Norte e Nordeste. Em 2000, veio a primeira grande conquista: um moderno hipermercado de mais de 5 mil m² na cidade de Balsas.

Assim, ali começou a ser desenhado o projeto de expansão para, em um primeiro momento, alcançar todo o Estado do Maranhão e, depois, outros Estados da região.

Hoje, o Grupo Mateus é um conglomerado de empresas que opera no varejo de supermercados, atacarejo, móveis e eletrodomésticos, indústria de panificação, distribuição de medicamentos e construção. As lojas estão também no Pará e Piauí, mas o grupo atende por entregas também no Tocantins, Bahia e Ceará.

O grupo é controlado por membros de uma mesma família. São quatro acionistas: o próprio Ilson Mateus Rodrigues, Maria Barros Pinheiro (esposa de Ilson), Ilson Mateus Rodrigues Junior (filho) e Denilson Pinheiro Rodrigues.

Crescimento nos últimos anos

Os números dos últimos anos mostram o crescimento da empresa principalmente na última década. O número de lojas, por exemplo, saltou de 65, em 2016, para 137 unidades neste ano.

Em 2018, a receita líquida foi de R$ 6,3 bilhões. E só nos primeiros meses deste ano, somou R$ 5,1 bilhões. Isso representa um aumento de 27% na comparação com o mesmo período de 2019.  Assim, o Grupo Mateus caminha para atingir pela primeira vez uma receita anual de mais de R$ 10 bilhões.

Já o lucro líquido teve uma alta de 78% no semestre, totalizando R$ 297 milhões.  O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) totalizou R$ 607,5 milhões em 2019.

A empresa possui nove centros de distribuição, 24 lojas do mix atacarejo, 24  supermercados e 2 hipermateus, além de uma plataforma própria de e-commerce. O grupo tem também dois cartões de crédito com mais de 300 mil clientes ativos. É dono ainda de 66 lojas da rede Eletro Mateus, segundo prospecto da empresa registrado na CVM.  Mesmo durante a pandemia, no primeiro semestre, a empresa abriu 18 novas lojas. Com essa estrutura, emprega mais de 30 mil pessoas.

Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o Grupo Mateus é o quarto maior do país em varejo alimentar.

Números do Grupo Mateus

 

Sobre o IPO

Há cerca de um ano o Grupo Mateus se prepara para entrar na Bolsa de Valores. Desde 2015 a empresa deseja fazer o movimento, que foi adiado por conta da crise econômica. Mas agora, mesmo com a pandemia, o grupo decidiu seguir adiante.

O pedido de IPO foi protocolado dia 14 de agosto na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). A oferta contempla ações primárias e secundárias

A expectativa é arrecadar cerca de R$ 4,5 bilhões. Mas os valores das ações e datas da oferta ainda não foram divulgadas pela empresa.

Coordenam a oferta a XP Investimentos, além do Bradesco BBI, BTG Pactual, Itaú BBA, Santander e Safra.

Os objetivos do Grupo Mateus

O grupo quer captar recursos para expandir suas lojas e atuação pelo Norte e Nordeste. “Pretendemos consolidar ainda mais nossa posição de liderança por meio da expansão orgânica em todos os nossos formatos e bandeiras”, diz o prospecto.

Por fim, o foco é ampliar as lojas de mix atacarejo para mais cidades, explorando a demanda da região. Isso inclui a expansão via múltiplos canais de venda, com a inauguração de lojas físicas, em shopping e nas ruas. Além de ampliar as operações em lojas virtuais.