GPS (GGPS3) tem alta de 20% no lucro líquido do 2TRI21

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A GPS (GGPS3) registrou lucro líquido ajustado 20% maios no segundo trimestre de 2021 (2TRI21).

O indicador passou de R$ 75 milhões para R$ 90 milhões. Assim, a margem líquida ajustada cresceu de 5,9% para 6,7%.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

GPS (GGPS3): principais números do balanço do 2TRI21

Lucro líquido ajustado

  • Lucro 2TRI21: R$ 90 milhões
  • Lucro 2TRI20: R$ 75 milhões

Ebitda ajustado

  • Ebitda 2TRI21: R$ 165 milhões
  • Ebitda 2TRI20: R$ 135 milhões

Receita líquida

  • Receita 2TRI21: R$ 1,538 bilhão
  • Receita 2TRI20: R$ 1,123 bilhão

Receita líquida cresce 37%

A receita líquida da GPS (GGPS3) subiu 37% entre o 2TRI20 e o 2TRI21.

O indicador cresceu de R$ 1,123 bilhão para R$ 1,538 bilhão ao fim do 2TRI21.

A empresa diz que, a partir de maio, fruto da melhora do ambiente de mercado, foi aumentado o ritmo de implantação de novos contratos, o que refletiu em um crescimento de 9,6% de receita liquida orgânica, quando comparamos o 2T21 com o 2T20 e de 4,3%, quando comparamos o 1S21 com 1S20.

O Ebitda ajustado da GPS (GGPS3) cresceu 23%. Já a margem Ebitda ajustada caiu de 12% para 10,7%.

A Dívida liquida foi de R$ 237 milhões no encerramento do 2T21, 78% inferior a dívida líquida do 4T20, em função da integralização de capital da oferta primaria de ações no IPO, que resultou em um ingresso de caixa líquido de R$ 668 milhões, excluídos os custos da oferta e o pagamento de dividendos.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3