GPA (PCAR3): capitalização de subsidiária pode trazer valor no curto prazo, diz UBS

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

O GPA (PCAR3) anunciou que o Grupo Casino está lançando estudos preparatórios para um potencial aumento de capital da Cdiscount e Green Yellow, subsidiárias diretas da CNOVA, para permitir que o negócio acelere seu plano de crescimento. Segundo análise do UBS o IPO da Cdiscount pode desbloquear valor para as ações de GPA e trazer valor no curto prazo.

O comunicado também menciona que poderia incluir uma colocação secundária de ações detidas pelo grupo, garantindo ao mesmo tempo que o Grupo Casino continuaria a controlar as subsidiárias.

Em 8 de agosto de 2016, Casino e CBD assinaram dois documentos com regras para reger o relacionamento contínuo entre as partes como acionistas da CNOVA. O parágrafo “Compromissos do Casino” afirmava que “se Casino ou CNOVA decide iniciar um IPO (incluindo uma oferta secundária), a CBD tem o direito de vender todas suas ações como parte de tal oferta, com prioridade sobre o Casino com relação a até 90% do total de ações a serem oferecidas na oferta secundária, sujeito a certos exceções”.

Mas o acordo, diz o UBS, não explica se este direito é válido no caso de transação envolvendo uma subsidiária da CNOVA, neste caso Cdiscount e GreenYellow.

“A criação de valor para o CBD é potencialmente alta. Se os direitos preferenciais de GPA forem válidos e o negócio for bem-sucedido, vemos potencial para breve criação de valor no curto prazo”, afirma o UBS.

Como parte da análise, se assumirmos que Cdiscount emite o equivalente a 100 milhões de ações da CNOVA por 200 milhões de euros (semelhante a dívida líquida), o Grupo Casino controlaria o ativo com 50,25% e a CBD seria capaz de vender 100% de suas 118 milhões de ações da CNOVA.

A participação em CBD pode valer entre R$ 7,85/ ação e R$ 44,9/ação considerando diferentes níveis de crescimento e valorização de métricas, segundo cálculos internos de UBS.

“Estamos colocando nossa meta de preço e classificação em revisão, aguardando mais esclarecimentos sobre este potencial negócio e a análise de outras possíveis oportunidades de reestruturação”, diz o UBS.

A recomendação é de compra até o preço de R$ 95.