Governo projeta que PECs propostas por Paulo Guedes sejam aprovadas no primeiro semestre

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Washington Costa/ME

Waldery Rodrigues, secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, está otimista com relação à aprovação das três PECs (Propostas de Emenda à Constituição) enviadas pelo ministro Paulo Guedes ao Congresso já no primeiro semestre de 2020.

A primeira que deverá receber o sinal positivo é a que extingue mais de 200 fundos públicos, de acordo com as informações de Waldery.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Na sequência, informou o secretário, deverão ser aprovadas as PECs Emergencial e do Pacto Federativo. Juntas, as três formam o que foi rotulado de Plano Mais Brasil.

“Essa coordenação de ideias e maturidade da discussão nos coloca de forma transparente, e até cautelosa, de que um semestre é tempo suficiente”, comentou, à Folha de S.Paulo.

De acordo com o secretário, apesar de apertado, o calendário é executável, e a distribuição dos recursos da União aos governos estaduais prevista no pacote é um facilitador para a aprovação.