Governo planeja iniciar vacinação contra Covid-19 na terça-feira; veja mais notícias

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: governo-jornais

O o governo federal planeja começar a vacinação contra a Covid-19 na próxima terça-feira (19). No dia, os governadores devem se reunir em Brasília com o ministro Eduardo Pazuello.

O objetivo é vacinar uma pessoa idosa e um profissional de saúde, destaca o jornal O Estado de S. Paulo.

Um avião irá decolar hoje até a Índia para buscar 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

No domingo, a Anvisa vai decidir sobre a aprovação do imunizante e da CoronaVac, do Instituto Butantã.

Já o jornal O Globo diz que a vacinação deve começar só na quarta-feira (20) e terá início pelas capitais.

Em resposta ao STF, o Ministério da Saúde afirmou que não tem estoque de seringas e agulhas por que isso seria competência de Estados e municípios.

Força-tarefa faz jornada dupla em análise de uso emergencial de vacinas

Segundo a Folha, a análise de pedidos de uso emergencial de vacinas fez a Anvisa criar um grupo com 42 pessoas de diferentes áreas em jornadas de 16h.

No próximo domingo, cinco diretores decidirão as liberações das vacinas em reunião transmitida ao vivo.

Bolsonaro quer demitir presidente do BB

A Folha, O Globo e O Estado de S. Paulo também destacam que o plano de demissão voluntária anunciado pelo Banco do Brasil na terça-feira (12) é a motivação para o presidente Jair Bolsonaro querer demitir o presidente do BB, André Brandão.

Auxiliares do Planalto dizem que ele pode ser demitido, mas Paulo Guedes está agindo para evitar a saída.

O anúncio pelo BB foi considerado inoportuno, pois o Planalto negocia apoio para os comandos da Câmara e do Senado.

Ajuda de matrizes a montadora no país soma US$ 69 bilhões

Nos últimos seis anos, multinacionais do setor automotivo injetaram US$ 69 bilhões (cerca de R$ 367 bilhões) nas subsidiárias brasileiras, destaca o jornal O Estado de S. Paulo.

Desse total, US$ 36,9 bilhões foram devolvidos em remessa de lucros e pagamentos de dívidas com controladores. Socorro deve perder força após a saída da Ford, avaliam consultores.

Câmara aprova impeachment de Trump pela segunda vez

Os jornais também destacam a aprovação, ontem, feita pela Câmara dos Deputados dos EUA do segundo pedido de impeachment contra o presidente Donald Trump em menos de 13 meses.

Os parlamentares aprovaram o impedimento do presidente por incitar insurreição no episódio da invasão ao Capitólio.

O processo agora vai para o Senado, que tem a palavra final sobre o afastamento, mas não deve ser votado antes da posse de Joe Biden no dia 20.

A votação foi 232 votos a 197. Dez republicanos votaram junto com os democratas a favor do impeachment.

Se você quer saber mais sobre investimentos, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.