Desde 2003, Governo federal demitiu mais 7 mil servidores; nenhum por insuficiência de desempenho, diz Folha

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores

Crédito: Cristiano Mascaro/Portal da Copa 2014

A Controladoria-Geral da União (CGU) informou que governo federal, desde 2003, já demitiu 7.766 funcionários públicos. Entretanto, nenhum deles foi desligado por insuficiência de desempenho, hipótese prevista na Constituição desde 1990. No entanto, não foi regulamentada.

Conforme a publicação da Folha de S. Paulo, nesta quinta-feira (2), os dados divulgados pelo órgão são referentes ao período de 2003, ano que iniciou a divulgação dos registros, até novembro de 2019. As expulsões correspondem a 0,5% do atual quadro de funcionários.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Mau desempenho

Dos 7.766 servidores expulsos, 5.114 (65%) foram destituídos por casos de corrupções. Já 1.860 (25%) foram extintos em razão de abandono, inassiduidade ou acumulação ilegal de cargos. As demissões que mais de aproximam do mau desempenho são referentes à desídia (negligência). Ao todo, 223 funcionários foram expulsos por esse motivo.

Contudo, segundo a Folha, a CGU afirma que, caso a demissão por insuficiência seja regulamentada, as expulsões, provavelmente, serão decorrentes do resultado de avaliações de desempenho ou dispositivo equivalente. Em contrapartida, a negligência pode acarretar em expulsão, mesmo o servidor apresentando um ótimo desempenho.

Órgãos que mais expulsaram servidores

Conforme a CGU, desde 2003, os órgão federais que mais expulsaram funcionários foram:

  • INSS: 1.897
  • Ministério da Educação: 1.437
  • Ministério da Saúde: 792
  • Polícia Rodoviária Federal: 605
  • Receita Federal: 520
  • Polícia Federal: 416

Esses números correspondem a 73% das expulsões do governo federal.

 

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3