Governo afrouxa compulsório para ampliar liquidez da economia

Marcello Sigwalt
null

Crédito: Site Revista News

Garantir a liquidez dos mercados financeiro e de capitais. Esse é o principal objetivo da autorização concedida, nesta segunda-feira (13) pelo Banco Central (BC) para que os bancos deduzam a recompra de letras financeiras (LF) dos depósitos compulsórios a prazo, segundo a Agência Brasil.

Redução em 2021

Com validade anunciada até meados de 2022, a dedução, informa em nota a autoridade monetária, começará a ser reduzida em 2% por semana no fim do primeiro semestre de 2021.

Renda fixa

Os depósitos compulsórios a prazo correspondem ao que foi investido por clientes em aplicações de renda fixa.

Duas etapas

Para ajudar na liquidez, a expectativa da autoridade monetária é de que a liberação de recursos ocorra em duas etapas:

Com a recompra das LFs pelos bancos, aumentará a quantidade de dinheiro circulando na economia.

Ao mesmo tempo, ao pagarem menos compulsório ao BC, os bancos terão maior disponibilidade de recursos de empréstimos ao mercado.

Linhas especiais

De acordo com a autoridade monetária, a dedução de recompras de LFs corresponderá a até 15% dos depósitos a prazo e ao montante que os bancos comprarem em debêntures – títulos de empresas privadas – para acessar a linha temporária especial de liquidez.

As linhas especiais permitem ao BC emprestar às instituições financeiras, tomando debêntures como garantia.

Outra orientação é de que “somente poderão ser deduzidas letras financeiras recompradas de instituição ou fundo que não façam parte do mesmo conglomerado da instituição emissora”.

Reguladores de liquidez

Funcionando  como uma espécie “reguladores” ou “sinalizadores” de liquidez – quantidade de dinheiro em circulação no mercado – os compulsórios são utilizados para garantir a segurança do sistema financeiro.

Um exemplo são as restrições para contratação de empréstimos pelos bancos, sem que haja lastro para a cobertura de saques e retiradas.

O que são as LF?

Por característica, as letras financeiras (LF) são títulos de renda fixa privados que permitem a captação de recursos com mais de dois anos de prazo.

Títulos de renda fixa privados, as letras financeiras permitem a captação de recursos com mais de dois anos de prazo.

Primeira dedução

O incentivo a linhas de crédito se intensificou nos últimos dias, quando o Conselho Monetário Nacional (CMN) havia autorizado bancos inscritos no programa a deduzir dos compulsórios a prazo aquilo que emprestaram para o financiamento da folha de pagamento (a pequenas e médias empresas).

Para o financiamento da folha de pagamento, a estimativa é de que sejam emprestados R$ 40 bilhões a empresas que faturem de R$ 360 mil a R$ 10 milhões por ano .

Desse montante, R$ 36 bilhões provêm do Tesouro Nacional e os R$ 4 bilhões restantes, dos próprios bancos.