Google: monitoramento mostra que brasileiros abandonam o isolamento

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O Relatório de Mobilidade Comunitária é uma ferramenta do Google para ajudar as autoridades de saúde pública a entender as respostas às questões de distanciamento sociais dadas pelas pessoas na crise do novo coronavírus. Nele, é possível identificar que o brasileiro, em média, não tem atendido a contento o chamado das autoridades locais para o isolamento social.

O Google mostra que o recuo de movimentação de pessoas para determinados destinos, como parques, restaurantes, bares, locais de trabalho, estações de metrô, trens e ônibus, farmácias e supermercados, por exemplo.

Na média nacional, há 59% a menos de pessoas indo a restaurantes, cafés, bares, shopping centers, museus e parques temáticos. O mesmo índice para deslocamentos a praias, parques, praças e jardins públicos.

Estações de transporte público têm recebido menos 52% de trânsito de pessoas. E locais de trabalho, uma redução de 36% de pessoas, o que sugere pouca adesão do empresariado à medidas restritivas.

Menor isolamento

Segundo analisa a CNN, “em uma primeira versão do relatório, referente ao dia 29 de março, é possível verificar que a movimentação do brasileiro em lojas e locais de recreação caiu 71%, na comparação com a média dos mesmos locais nos domingos das semanas entre 3 de janeiro e 6 de fevereiro”.

Ou seja, o brasileiro agora tem atendido menos ao chamado das autoridades.

Residencial

Farmácias e supermercados perderam apenas 5% da movimentação, visto que são atividades consideradas essenciais pelos estados e municípios.

Locais residenciais – as casas das pessoas – entretanto, tiveram um aumento de 16%, que é o índice médio de pessoas que realmente levam a sério o isolamento social.

Google explica o procedimento

Esses relatórios mostram como as visitas e a duração de ficar em lugares diferentes mudam em comparação com o usual. O Google calcula essas mudanças usando o mesmo tipo de agregado e anonimização de dados usados ​​para mostrar horários populares para lugares no seu aplicativo Google Maps.

Quais dados estão incluídos no cálculo depende das configurações do usuário, conectividade e se atende ao limite de privacidade requerido pela empresa. Se o limite de privacidade não é atingido (em algum lugar não está ocupado o suficiente para garantir o
anonimato) não é mostrada uma alteração para o dia.

“Não fornecemos informações de identificação pessoal, como localização, contatos ou movimento do indivíduo”,diz a empresa, com relação à privacidade do relatório.

“As informações nesses relatórios são criadas com conjuntos de dados agregados e anônimos”, explica.

LEIA MAIS
Onyx defende Bolsonaro e diz que “é preciso diminuir isolamento social”

STF: é “impensável” que visão de PGR sobre isolamento prevaleça na Corte