Google está acelerando a reabertura parcial de escritórios a partir de abril

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Pixabay

O Google, uma das primeiras grandes empresas dos EUA a mandar funcionários para casa no ano passado por causa do coronavírus, está definindo novas diretrizes de trabalho remoto à medida que acelera os planos para levar os funcionários de volta ao escritório.

Os funcionários começarão a retornar aos escritórios em uma capacidade “limitada” em abril, de acordo com um memorando publicado pela empresa.

À medida que milhões de americanos são vacinados por dia, o Google está acelerando os planos de reabertura em algumas partes dos EUA antes do prazo de devolução de 1º de setembro, de acordo com documentos internos vistos pela CNBC.

Os escritórios serão reabertos com capacidade limitada em abril, com base na disponibilidade da vacina e na tendência de queda nos casos de Covid-19.

“Já faz um ano que muitos de nós trabalhamos em casa, e a ideia de voltar ao escritório pode inspirar emoções diferentes”, escreveu Fiona Cicconi, a nova chefe de operações de pessoal do Google, em um e-mail para toda a empresa na quarta-feira.

Se os funcionários quiserem trabalhar remotamente depois de 1º de setembro, por mais de 14 dias por ano, eles terão que se inscrever formalmente. Eles podem se inscrever por até 12 meses nas “circunstâncias mais excepcionais”. A empresa poderia, no entanto, chamar os funcionários de volta ao escritório designado a qualquer momento, disse a nota.

Ampla reabertura em setembro

O Google está se preparando para uma ampla reabertura em setembro, quando os funcionários deverão comparecer pessoalmente três dias por semana. A empresa está adotando uma abordagem diferente de seus pares do setor, como Facebook e Twitter, que prometeram permitir a maior parte do trabalho remoto indefinidamente.

Em uma declaração enviada por e-mail à CNBC, o Google confirmou os memorandos e acrescentou que “movimentos permanentes por motivos pessoais ainda estão em espera”.

A CNBC relatou pela primeira vez em dezembro que o Google descartou a ideia de trabalho remoto e que espera que os funcionários “vivam perto do trabalho” dos escritórios.

Cicconi escreveu no e-mail de quarta-feira que os funcionários voltarão aos escritórios reformados que permitirão aos donos trazer seus cães.

Cicconi alertou os funcionários para “ficarem vigilantes para evitar uma nova onda do vírus”, acrescentando que o Brasil está enfrentando “dificuldades significativas” com o aumento de casos.