Golpes usam auxílio emergencial como isca para roubar dados; saiba como se proteger

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Divulgação/ Época Negócios

Golpistas estão usando aplicativos e sites falsos para roubar dados se passando pelo governo federal. A isca usada, de acordo com especialistas, é o auxílio emergencial que será pago pelo governo.

A mais recente estratégia dos criminosos foi lançar aplicativos para celular apps e sites falsos que buscam se passar pelo programa oficial da Caixa Econômica Federal, segundo a empresa de cibersegurança Apura Cybersecurity Intelligence S/A, empresa de cibersegurança.

Identificados

Dois aplicativos falsos, já excluídos da loja Play Store do Google, foram identificados. Um dos casos, por exemplo, foi o do App “Auxílio Emergencial 2020”, que apresentava 500 mil downloads. Uma vez baixado, o aplicativo pedia para que o usuário fizesse um cadastro completo, entregando assim, seus dados pessoais para os desenvolvedores, informou a empresa.

Por  isso, é preciso o alerta à população, para evitar de baixar aplicativos ou entrar em sites duvidosos, de acordo com Sandro Süffert, CEO da Apura e especialista com atuação de segurança cibernética.

“A recomendação é sempre digitar no navegador o site da instituição (no caso caixa econômica federal: caixa.gov.br) e seguir de lá os links do assunto de interesse, além de nunca acessar links recebidos por whatsapp / email / sms“, disse posteriormente.

Dicas da Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) divulgou ter detectado um aumento significativo de golpes durante a crise do coronavírus. A instituição alerta que a população busque informações sobre as ações federais em canais oficiais.

Assim, veja as orientações básicas para evitar de cair nos principais golpes identificados:

  • Procurar o site oficial da empresa pública ou privada de onde viria esta informação e procurar la (pela gravidade do assunto, estará sempre na home page)”.
  • As campanhas falsas são realizadas por diferentes meios como e-mails, links, mensagens por aplicativos, ligações telefônicas e outros canais, indica a corporação
  • Não clique em links enviados por e-mail, SMS ou aplicativos de mensagens em nome de instituições bancárias, não preencha dados de cartões de crédito em formulários e nem informe dados de cartões de crédito e senha em ligações telefônicas. Procure as informações junto ao seu banco nos canais oficiais.
  • Boleto falsificado: códigos de barras podem ser facilmente alterados. Fiquem atentos ao nome da empresa e valor do pagamento. Qualquer dúvida, entre em contato com o credor e emissor do boleto ou com a sua instituição bancária.
  • Empréstimos: Se aproveitando do momento de dificuldades financeiras, golpistas oferecem facilidades em refinanciamento de dívidas e empréstimos consignados. Desconfie das ofertas de dinheiro fácil.
  • Golpes usando Whatsapp: solicitações de empréstimos e transferências oriundas de contatos no Whatsapp podem ser golpes. Ligue para o seu contato e confirme a solicitação.
  • Voucher auxílio emergencial: diversas mensagens de Whatsapp, SMS, e-mails e até telefonemas têm solicitado informações para cadastro dos beneficiários do auxílio emergencial aprovado pelo Governo Federal. Não informe os seus dados nesse tipo de mensagem.
  • Campanhas de doação: Em momentos de crise é muito comum surgirem campanhas de doação de todos os tipos. Certifique-se de que as pessoas/instituições por trás da campanha existem e são realmente sérias. Procure informações nos canais oficiais das empresas.