Petrobras (PETR3 PETR4): Goldman Sachs indica dividendos recordes

Victor Meira
Com formação em Ciências Sociais e Jornalismo, experiência em redação nas editorias de esportes, empregos, concursos, economia e política.
1

Crédito: Agência Brasil/Fernando Frazão

O Goldman Sachs divulgou um relatório que atualizou as suas estimativas para Petrobras (PETR 3 PETR4). Baseado no aumento expansivo do preço do barril de petróleo, o banco prevê que a empresa de combustíveis brasileira possa pagar um valor recorde em dividendos nos próximos anos. 

Segundo a análise do Goldman Sachs, a Petrobras tem a expectativa de pagar um valor recorde entre US$ 17 bilhões a US$ 20 bilhões em dividendos no período entre 2022 e 2023. Isso resultaria em um dividend yield entre 25% e 30%, enquanto que as petrolíferas globais pagam cerca de 5%.

O montante equivale a 60% do resultado do fluxo de caixa operacional da Petrobras, descontado o Capex.

Já no curto prazo, os analistas da Sachs entendem que há espaço para a distribuição de US$ 5 bilhões em dividendos da Petrobras de forma adicional, assim como ocorreu no segundo trimestre, sem comprometer a meta de endividamento bruto, de US$ 60 bilhões. 

Apesar do otimismo, ainda em relação ao curto prazo, os norte-americanos não descartam os riscos da Petrobras. A companhia de combustíveis está 21% abaixo da paridade global nos preços de gasolina e diesel, sem contar as volatilidade do mercado brasileiro que as eleições do ano que vem podem trazer. 

A projeção para um pagamento recorde de dividendos tem como base o maior fluxo de caixa livre esperado entre 2021 e 2022, algo em torno de US$ 20 bilhões. Esse fluxo de caixa permitirá que a empresa diminua o seu endividamento, repassando os recursos aos seus acionistas, baseada na nova política de remuneração.

Além disso, o Goldman Sachs entende que o Brent, uma espécie de classificação do petróleo cru, continuará em um patamar de preços elevados. As novas estimativas são de que o barril de referência no mercado internacional termine este ano em US$ 72,10; no ano que vem, em US$ 81,25; e em 2023, US$ 85.

O banco de investimento norte-americano tem uma recomendação neutra para as American Depositary Receipts (ADRs) da Petrobras. Para a Ecopetrol, petrolífera colombiana, a recomendação é de compra, enquanto para a argentina YPF, de venda.

Petrobras tem queda na produção de petróleo

A Petrobras (PETR4 PETR3) divulgou ontem sua prévia operacional, com produção média de óleo, LGN e gás natural no terceiro trimestre deste ano de 2,83 milhões de boed. Apenas de petróleo, a produção foi de 2,269 milhões de boed, uma diminuição de 4% em relação ao mesmo período de 2020.