Gol (GOLL4) aprova arrendamentos; Taurus (TASA4) inicia produção em joint venture

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Divulgação

A Gol (GOLL4) celebrou nesta quinta-feira (10) contratos de garantia para cumprimento das obrigações assumidas nos contratos de leasing a serem feitos entre a empresa e a CDB Aviation, no valor de até US$ 390,600 milhões.

O contrato assegura a garantia de sete aeronaves Boeing 737-MAX8, no valor de até US$ 390,600 milhões.

Recentemente, a Gol enviou proposta de incorporação da Smiles (SMLS3), a empresa que administra seu programa de milhagem.

A incorporação resultará na migração dos acionistas da Smiles que assim quiserem para base acionária combinada Gol e da Smiles, e no resgate em dinheiro daqueles que optarem por não migrar.

Taurus (TASA4) inicia produção de carregadores de armas leves

A Taurus (TASA3 TASA4) informou que após “rigorosos testes de validação”, iniciou a produção de carregadores de armas leves para o mercado nacional e internacional.

A produção se dá em joint venture no parque industrial da Joalmi, em Guarulhos, estado de São Paulo.

Entretanto, em 2021, está prevista a transferência das operações para o complexo industrial da Taurus, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

“A tecnologia empregada na fabricação dos carregadores, além de ser considerada estratégica pela companhia para assegurar seu plano de expansão da capacidade de produção, é fundamental para o perfeito funcionamento e segurança das armas”, explica a Tarus.

“Com o início da produção na joint venture, vai tornar a Taurus autossuficiente na produção de carregadores, mercado atualmente dominado por poucos fornecedores estrangeiros”, segue.

Além disso, segundo a empresa, a operação “propicia uma forte redução de custo”.

A Taurus estima que, entre resultados operacionais e redução de custo, o projeto poderá gerar mais de R$ 100 milhões nos próximos cinco anos.

A joint venture terá uma capacidade instalada de 7,4 milhões por ano até o final de 2022 e sua ampliação poderá ser antecipada, dependendo da atuação da empresa no mercado de reposição.

CCP (CCPR3) aprova distribuição de dividendos

A Cyrela Commercial Properties (CCPR3) aprovou o pagamento de dividendos intermediários no montante total de R$ 600 milhões.

Isso equivale a R$ 1,560452296 por ação ordinária.

Terão direito ao dividendo os acionistas na data-base de 15 de dezembro de 2020.

O pagamento será realizado em uma única parcela, em 29 de dezembro deste ano.

LEIA MAIS
BTG: Gol (GOLL4) está de volta à geração de caixa

Taurus (TASA3 TASA4) já é a marca mais importada nos EUA