Gleisi Hoffmann será investigada pela PGR por vídeo gravado para Al-Jazira

Filipe Teixeira
null
1

Foto: img-capa

Complicou

Um procedimento preliminar foi instaurado pela Procuradoria Geral da República (PGR) para analisar a possível abertura de inquérito contra a presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), a senadora (PR) Gleisi Hoffmann.

No vídeo, Hoffmann afirma que o ex-presidente Lula é um preso político. A senadora acusa também a Justiça Brasileira de parcialidade.

“Lula foi condenado por juízes parciais num processo ilegal. Não há nenhuma prova de culpa, apenas acusações falsas”, rechaça a petista que termina convidando toda a comunidade árabe a abraçar a causa pela soltura do ex-presidente.

Primeiros passos

O procedimento preliminar (como indica o nome) é o primeiro passo para instauração do inquérito propriamente dito. A iniciativa partiu da subprocuradora da PGR Raquel Branquinho.

A Procuradoria Geral da República confirmou que ao longo do dia de ontem (18), a PGR recebeu uma serie de pedidos para abertura de investigação, provenientes de cidadãos comuns. Do lado político, a PGR confirmou o ofício do deputado federal Major Olimpio (PSL-SP) para que se apurasse o conteúdo do vídeo.

Gleisi Hoffmann reiterou sua fala no plenário do Senado, classificando as críticas como xenofobia.

Opinião

Sobre o caso, cabe o velho ditado do “Quem fala o que quer, ouve o que não quer”.

A senadora Gleisi tem passado dos limites, ainda que seu papel enquanto presidente do PT seja mesmo o de defender Lula. Cabe ressaltar que Gleisi está em pleno exercício de seu mandato no senado, ainda que muito pouco apareça nas sessões.

Nos últimos meses, praticamente abandou as funções de senadora para acompanhar Lula em sua “cruzada” pais afora.

Tudo pago com o nosso dinheiro, obviamente.

[formulario-contato]


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374