Gigante de tecnologia Alphabet, dona do Google, atinge a marca de US$ 1 trilhão de valor de mercado

Weslley Almerindo
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Hebi B./Pixabay

Fundada em 1998 pelos então colegas de doutorado Larry Page e Sergey Brin, a Alphabet é proprietária do Google e uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. Após a Apple, Microsoft e Amazon, a Alphabet foi a quarta empresa a atingir a incrível marca de US$ 1 trilhão de valor no mercado de ações.

Alphabet e seu atual valor de mercado

Conforme o portal Exame, a empresa chegou ao valor de um trilhão de dólares na bolsa na última quinta-feira (16)  em um movimento já esperado pelo mercado no início da semana.

A Apple, em 2018, foi a primeira empresa de capital aberto a atingir o incrível patamar de US$ 1 trilhão e já caminhou aproximadamente 35% do necessário para que atinja o seu segundo trilhão, segundo o Valor Econômico.

Abra agora sua conta na EQI Investimentos e tenha acesso a soluções customizadas de acordo com seu perfil

Em seguida, veio a Microsoft, com atual valor de mercado em US$ 1,2 trilhão e a Amazon, com US$ 937,7 bilhões.

Embora a Amazon esteja abaixo da marca dos 13 dígitos, já a atingiu anteriormente esse valor de mercado e seu atual montante é reflexo da regra máxima do mercado financeiro: a volatilidade.

Transcendendo a área tecnológica, a gigante empresa de petróleo Saudi Aramco é a empresa mais valiosa do mundo, atualmente, com US$ 1.87 trilhão.

Eventos marcantes

Em dezembro de 2019, Larry Page deixou o comando da Alphabet e Sundar Pichai assumiu o seu lugar, o que teve uma boa repercussão em Wall Street.

Pichai é formado em Engenharia Metalúrgica pela universidade Indian Institute Technology Kharagpur e entrou para a Google no ano de 2004.

Inicialmente, ele era responsável pela liderança de projetos como o Google Chrome e em pouco tempo passou a liderar o sistema operacional Android, que foi comprado pela empresa.

Em agosto de 2015, Pichai substituiu Page no cargo de CEO da Google e em dezembro do ano passado como CEO da Alphabet, acumulando o cargo nas duas gigantes de tecnologia.

Ramos de atuação

Segundo o portal Valor Econômico, a maior parte da renda da Alphabet é oriunda da publicidade e marketing e o Google é a plataforma responsável por 99,6% da receita do grupo.

Entretanto, vale atentar-se a outros setores da empresa como a loja de aplicativos Play, a computação em nuvem e a fabricação de aparelhos. Embora menores, eles crescem duas vezes mais do que o grupo como um todo e já são responsáveis por 16% das receitas totais.

Projetos de maior ambição e com um longo prazo, como os carros autoguiados e remédios, ainda não trazem retorno financeiro para a empresa.

Não obstante, Wall Street já avalia o setor da companhia em um valor de US$ 150 bilhões, mesmo sem terem iniciado uma atividade comercial.

Vale citar, ainda, a compra de empresas como uma importante função que a Alphabet exerce muito bem, haja vista o sucesso do Youtube, o sistema Android, a publicidade e outros setores.