Gigante do comércio eletrônico, Alibaba prepara maior IPO da história

Marcello Sigwalt
null

Crédito: \Site Exame

A maior abertura de capital da história. É como o mercado define a megaoferta pública inicial (IPO) de US$ 30 bilhões que deverá ser feita pelo Ant Group, do fundado do gigantesco grupo Alibaba, superando o recorde de US$ 29 bilhões, obtido pela Saudi Aramco, no ano passado.

Com a transação, a previsão do Business Insider, é de que a Ant Group atinja um valor de mercado em torno de US$ 225 bilhões.

Expansão já

Na mira da empresa, a captação de dinheiro para a expansão da base de usuários, bem como ampliar sua presença no mercado de pagamentos internacionais. Ao mesmo tempo, a intenção é de potencializar a área de pesquisa e desenvolvimento.

Invista em suas Escolhas. Conheça os Melhores Investimentos 2021.

Fontes da consultoria internacional Goldman Sachs, ouvidas pelo canal CNBC, dão conta de que a IPO poderia ocorrer, a princípio, em outubro próximo.

De acordo com fontes, o objetivo de Jack Ma e seus executivos é acelerar a formação de um mercado online para “absolutamente tudo”, de utensílios domésticos a empréstimos pessoais.

Mais popular

Um de seus aplicativos, o Alipay, está entre os mais populares na China, pois ele oferece serviços financeiros online, como empréstimos, investimentos e sistemas de pontuação de crédito.

A estimativa é de que metade do mercado de pagamentos chinês seja dominado pela Alipay, o correspondente hoje a US$ 7,6 trilhões por ano.

De acordo com um dos dados disponíveis, a Ant obteve no primeiro semestre do ano (1S20) receita de US$ 10,5 bilhões (72,5 bilhões de yuans), com lucro de US$ 3,1 bilhões (21,2 bilhões de yuans).

IPO fica na Ásia

Contrariando a expectativa geral – de lançamento nos principais mercados do EUA – a empresa chinesa preferiu realizar a IPO nas bolsas de Hong Kong e o Star Market de Xangai, considerado a versão chinesa da Nasdaq.

A opção também é vista por especialistas como rescaldo da nova guerra fria, protagonizada pelos Estados Unidos e a China, o que afeta muitos os interesses de empresas chinesas.

A guerra ideológica, que coloca China e EUA em rota de colisão, vem prejudicando grandes empresas chinesas e pode ser considerada como fator que influenciou na decisão de abrir o capital na Ásia.

Pelo menos, por enquanto, a empresa não foi alvo das críticas do presidente norte-americano, Donald Trump.

Furor em Wall Street

A megaempresa asiática causou furor no mercado norte-americano quando, em 2014, conseguiu levantar mais de US$ 25 bilhões, em sua estreia em Wall Street, o que corresponde, até hoje, ao segundo maior IPO do mundo.

A estratégia bem-sucedida da China é de permitir a abertura de empresas de tecnologia, mas também que seus fundadores não percam o controle delas.

Há seis anos, esse mecanismo não existia no país asiático, o que levou a Jack Ma colocar as ações de sua empresa nos Estados Unidos.

Outras projeções dão conta de que a Ant Group pretende vender entre 10% e 15% de seu capital social ampliado na listagem dupla.

Mais valioso

Ainda que não reconhecido oficialmente, o grupo chinês já é considerado o unicórnio (termo que define empresa com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão) mais valioso do mundo.

Na última rodada, há dois anos, a empresa foi avaliada em US$ 150 bilhões. Hoje, essa cifra já chega a US$ 200 bilhões. Seu faturamento no segundo trimestre (2T20) somou US$ 19,3 bilhões.

No dia 20 de agosto, a empresa anunciou que seu faturamento chegou a US$ 19,3 bilhões no segundo trimestre (2T20).